O que acontece quando um projeto é aprovado?

Depois de acompanhar toda a produção do seu projeto, o cliente está com a expectativa alta para ver a sua nova criação funcionando não é mesmo?

Mas acreditem, essa é a hora mais delicada do projeto!

Esses anos todos de experiência nos mostraram que não podemos baixar a guarda da atenção e temos que focar em todos os detalhes para lançar o projeto no ar, livre de erros e mais do que preparado para gerar bons negócios para o cliente.

É por isso que na Kamus a entrega não só é mais um ‘card‘ no nosso Trello, é um evento!

No mercado o que mais vemos por aí nessa fase, é clientes recebendo e-mails com o login e senha avisando que o projeto está pronto, e só!

Aqui na Kamus nós entendemos que o cliente precisa ser apresentado ao seu projeto, principalmente no seu uso. Caso ele não nos contrate para atualizar o site, é fundamental que ele seja treinado para usá-lo.

Por isso, depois da aprovação, nós agendamos um treinamento baseado nas funções internas do projeto e criamos um treinamento online ensinando todos os passos. Nós ensinamos as funções básicas do WordPress, bem como as demandas específicas do layout.

Somente depois que o cliente está apto para operar o projeto é que dizemos que enfim, o projeto foi entregue.

Se a sua marca vai falar na rede, prepare-se para ouvir

A música Stairway to heaven da banda Led Zeppelin é com certeza uma das músicas mais incríveis já feita. Ela foi criada por Jimmy Page (guitarrista) e Robert Plant (vocalista) no ano de 1971 para o álbum da banda chamado Led Zepeplin IV.

O reconhecimento da obra está em inúmeros prêmios e citações que recebeu desde o seu lançamento, como “500 melhores canções de sempre” da Revista Rolling Stone, e claro, pelas inúmeras versões coverizadas.

A mais famosa foi a versão feita pela banda Heart no Tributo Led Zeppelin no Kennedy Center Honors em 2012 pela CBS. Ann e Nancy Wilson conseguiram o improvável: fizeram uma versão de Stairway to heaven ainda melhor que original.

Foi incrível ver a reação emocionada dos integrantes assistindo a performance, que ainda contou com a presença de Jason Bonham, filho do já falecido ex-baterista da banda, John Bonham.

O que será passou pelas mentes dos músicos do Led Zeppelin assistindo essa apresentação? Certamente eles nunca imaginariam que seria possível alguém capitalizar, ainda que em formato de tributo, em cima de uma obra-prima como Stairway to heaven.

Assim como as bandas, as marcas também correm o risco de alguém se apropriar de suas obras. O caso mais recente foi o vídeo da Amazon do produto Kindle no Brasil. O vídeo publicitário citava as paredes recém-pintadas na cidade de São Paulo no movimento ‘maré-cinza’ do Prefeito João Doria.

A Amazon usou as paredes de fundo para trechos de livros famosos, numa metáfora sobre a cor cinza, mesma cor da tela do seu aparelho, como forma mostrar que há algo bacana para se fazer nessa situação como ler um bom livro.

O perfil empresário do prefeito aproveitou a chance e capitalizou em cima da publicidade da Amazon e provocou a empresa com o seguinte comentário em vídeo no seu Facebook:

“Já que a Amazon gosta tanto de São Paulo, do Brasil, ajude nossa cidade, ajude a quem precisa. Se vocês gostam realmente, doem livros para as bibliotecas, doem computadores para as escolas públicas e municipais”

O vídeo repercutiu, gerou um grande debate, e claro, outras marcas entraram na conversa oferecendo apoio com produtos, o que obrigou a Amazon a se posicionar frente ao mercado.

Assim como Page e Plant não imaginaram que ouviriam uma música melhor do que eles criaram, a Amazon também não esperava que o Doria ganhasse em cima de seu vídeo.

Como eu vou testar o produto online para aprovação?

Imagine a seguinte situação: sua casa está um pouco velha e precisa fazer uns reparos em vários cômodos. Você chama um profissional, que avalia tudo e faz um proposta de trabalho e entrega um plano de atuação explicando como vai trabalhar e em que prazos.

Proposta provada, a sua família deixa a casa e a reforma começa. Passado alguns dias você vai na casa e percebe que a obra está atrasa porque o profissional decidiu mudar os planos e começou por outro cômodo e não o que foi acordado na proposta.

Situação complicada porque a reforma já começou tem um tempo e não há como voltar mais atrás e fazer tomada de preço com outro profissional, principalmente porque já teve gastos envolvidos, então o melhor é seguir em frente e acompanhar mais de perto as obras.

O grande problema é que você não tem como ir na sua casa todos os dias para acompanhar a evolução da reforma. Até o fim de toda a produção, a expectativa de ver tudo pronto cresce todos os dias e cada pequeno problema, o que é normal de ocorrer, vira um mega problema e a experiência se torna muito angustiante.

Não se preocupe, isso não acontecerá com o seu projeto na Kamus!

Aqui nós adotamos a metodologia Kanban como forma de acompanhar a produção e usamos a ferramenta Trello para todos os projetos.

Assim que a Kamus é contratada, em 5 minutos nós criamos um ‘board’ do seu produto com os ‘cards’ de TODAS as demandas necessárias para a entrega do seu projeto. Se houver a necessidade de alguma nova tarefa, ou uma demanda precisa ser ajustada, nós podemos criar rapidamente um novo ‘card’ ou alterar o já existente.

Tudo às claras para o cliente, que estará no ‘board’ acompanhando toda a movimentação.

Diferente da obra citada, você terá acesso ao projeto com login e senha e saberá exatamente quais demandas estão sendo produzida e já pode interagir caso perceba algo errado.

O resultado final, é uma experiência de produção tranquila e entrega dentro do prazo, sempre!

Ter uma presença online é indispensável para qualquer marca

A Internet mudou o mundo completamente. Há 20 anos atrás começava a corrida das marcas para ter o site da sua empresa. Era incrível ter acesso 24h por dia e 7 dias por semana do seu negócio acessível por todos os consumidores.

Novos modelos de negócios surgiram e à partir daí o comportamento do consumidor também foi impactado. Produtos e serviços surgiam todos os dias e o mercado amadureceu rapidamente.

Logo depois, com o surgimento das redes sociais, todo esse comportamento se intensificou e o mercado foi elevado para um patamar ainda mais alto.

Mas a Internet também é terreno fértil para as armadilhas

Dentre tantas existente na rede, as notícias falsas possuem um grande volume, principalmente quando o assunto é compartilhamento. Segundo um estudo do Instituto de Internet da Universidade Oxford, o número de compartilhamento de notícias ‘fakes‘ é praticamente igual ao de conteúdo verdadeiro.

Por conta disso, marcas, personalidades públicas, e pessoas comuns, todos corremos o risco de sermos alvos de conteúdo falso, que podem prejudicar totalmente nossos negócios, carreiras e vidas.

Para as marcas, investir em comunicação não é só uma forma de divulgar os seus produtos e serviços em seus canais, mas é também uma ótima oportunidade de defendê-la!

Estruturar um time também focado nesse tipo de gestão é mais do que indicado. Hoje em dia é questão de sobrevivência!

E se o projeto atrasar? Como fica o valor da minha hora-técnica?

O grande gargalo em produção é a quantidade de vezes que um escopo é modificado e que geram novas refações de trabalho. Isso acontece com muita frequência na maioria esmagadora de projetos e a Kamus foi modelada paraevitar justamente esse ‘core‘ de atuação do mercado.

É muito comum, mesmo de posse de um ‘briefing‘, o escopo ir alterando por falta de um direcionamento e acabamos “entubando” essas mudanças e quando percebemos, o projeto dobra de tamanho e tempo.

Esse cenário não é só ruim para os profissionais que atuam no projeto, mas para o cliente também! É só reconhecer que quanto mais o tempo passa, e mais novas funções são adicionadas ao escopo, mais a expectativa aumenta sobre o projeto, e em geral, o resultado entregue é aquém do esperado, e todos saem frustrados.

Na Kamus toda a produção é baseada na metodologia Kanban na plataforma Trello. Toda vez que somos contratados, nós criamos um ‘board‘ do produto, e com 5 minutos e pouquíssimos cliques, nós criamos a base de tarefas onde o projeto será acompanhado pelo cliente e coworkers.

Ou seja, os ‘cards‘ de TODAS as tarefas já estarão definidas.

Claro que existirão ajustes! Sim, mas a chance é minimizada uma vez que fica mais claro perceber se aquele pedido de mudança fere ou não o ‘briefing‘. O papel da Kamus é garantir que esses pedidos não alterem a quantidade de horas trabalhadas pelos coworkers do projeto.

Mas se ainda sim, a mudança for aceita, e ela impactar na geração de mais horas de produção, o coworker envolvido será bonificado em sua remuneração.

Na comunicação de uma gestão de crise, cada detalhe importa muito

Infelizmente o noticiário atual no nosso país não está lá muito bacana de se acompanhar. Crise econômica e política, esquema de corrupção e agora sobrou até para a nossa carne.

Deflagada pela Polícia Federal, a chamada Operação Carne Fraca, tem como objetivo desarticular um suposto esquema de corrupção envolvendo fiscais do Ministério da Agricultura e donos de frigoríficos, dentre elas a BRF (das marcas Sadia e Perdigão) e JBS (Friboi e Seara).

A crise acabou se instaurando depois da denúncia, e claro, ganhou a Internet. Memes dos mais variados invadiram a linha do tempo e o caso ficou bastante efervescente. Motivo suficiente para as marcas se prepararem. Mas não foi isso que aconteceu.

O Diabo está nos detalhes

Essa máxima é levada ao extremo quando o assunto é presença online. Cada passo da comunicação precisa levar em consideração a percepção do público frente à marca. Quando uma crise se instala, todo cuidado é pouco.

A empresa JBS correu pra fazer um vídeo com depoimentos de funcionários para amenizar o problema, que ajudaria bastante a consolidar a imagem da empresa, porém, quando usou uma imagem de um dos produtos da Friboi, o selo da carne estava com data de validade de 2013.

Foi o suficiente para virar piada nas redes sociais, aumentando ainda mais a crise, obrigando a empresa a publicar uma nota de esclarecimento dizendo que usou imagens de arquivo (o que é normal!) e reeditou o vídeo sem a imagem da peça.

Ainda que fique provado que a empresa não tenha nenhum problema com a denúncia da Polícia Federal, qual imagem você acha que o público terá dela de agora em diante?

E se eu não gostar do que for entregue?

Precisamos de uma placa de trânsito que faça o motorista parar no cruzamento antes de atravessá-lo, evitando assim, possível colisões com outros motoristas que venham da rua transversal.

O resultado é a placa de “PARE” que todos nós conhecemos. Simples, funcional e universal, bastando trocar apenas o idioma.

O vídeo Placa STOP faz uma paródia justamente sobre um projeto cujo ‘briefing‘ muda de escopo o tempo todo, ampliando as necessidade e público-alvo. Não há foco na solução e sim no ego de quem está contribuindo para a criação da peça, deixando de lado a sua função e utilidade para o seu público.

Claro que temos a consciência que projetos se ajustam conforme são construídos. O que não significa que eles estão fugindo do ‘briefing‘. Mas é preciso foco para que o resultado final atinja a sua meta.

Na Kamus nós montamos toda a produção em ‘cards‘ no Trello para que o cliente possa aprovar ou pedir ajustes em cada tarefa, individualmente. Isso faz com que o projeto continue no foco, enquanto uma tarefa que o cliente reprovou é corrigida.

Isso evita aquele famosa frase “ué, mas não foi isso que eu contratei“, pois minimiza os ajustes, deixando claro para todos que fazem parte do projeto, que a produção está no caminho certo. Mas se não estiver, o cliente levanta a Placa STOP e ajustamos!

Entenda por que todo empresário deveria adorar o coworking

Os chamados escritórios de coworking são empresas que adotam um modelo de trabalho realizado em espaços compartilhados. A oferta desses espaços cresce a cada ano no mundo todo desde o começo dos anos 2000.

Só no Brasil já são quase 400 espaços assim, onde os profissionais atuam nas mais diferentes áreas. São programadores, advogados, contadores, designers e até pequenas e médias empresas, acredite!

O coworking possui inúmeras vantagens. Como é um espaço compartilhado, a convivência com vários outros perfis de pessoas é bastante enriquecedor, pois agrega mais experiência para quem frequenta esses ambientes.

Nesse último mês, a empresa We Work, uma das líderes desse segmento, investiu no Brasil com uma unidade de 2 andares na cidade de São Paulo.

Mas como um escritório de coworking pode ajudar o meu negócio?

Primeiro, pela múltipla bagagem dos profissionais que atuam nesses espaços. É muito comum a mescla de ‘skills‘ diferentes, gerando um perfil mais elaborado.

Segundo pela economia dos custos. Num escritório de coworking, o profissional paga uma mensalidade que lhe dá direito a uma mesa para trabalhar com Internet banda larga, em muitos casos é possível até ter um serviço de telefonista e salas de reuniões, que dá mais privacidade ao profissional na hora de fazer aquela videoconferência importante.

Na Kamus a precificação dos nossos produtos contemplam as horas-técnicas desses profissionais e não valores das CLT. Isso faz com que os custos sejam mais justos e acessíveis para qualquer tipo de empresa que queira investir em comunicação.

Entendeu por que chamamos esses profissionais de coworkers?! Eles são o nosso ‘core‘, e muitos deles atuam nesses escritórios, por isso nós os adoramos. E vocês?

Saiba o que a sua empresa deveria aprender com o filme Logan

Os heróis possuem super-poderes e são capazes de qualquer coisa para salvar o planeta diariamente. Seus feitos são sempre épicos e são praticamente invencíveis. A sociedade depende dessa ajuda para sobreviver e ela adora os seus heróis a ponto de endeusá-los!

Durante muito tempo a comunicação das empresa se portou como os heróis de quadrinhos.

Todas as marcas possuíam super-qualidades, e eram capazes de salvar as nossas vidas todos os dias! As marcas eram incríveis e estavam sempre na preferência de 8 entre 10 pessoas, independente do seu segmento.

As líderes de mercado lançavam moda e ditavam tendências de consumo. Todos queriam ser iguais às pessoas dos comerciais de TV.

Felizmente esse tempo passou!

A internet surgiu e o acesso à informação deu voz ao consumidor. Cada dia mais o público deseja um comportamento mais humano das empresas. Tal qual Logan é retratado no filme mais recente do nosso X-men favorito.

Nele, nosso herói ainda possui super-poderes, mas também envelhece, fica cansado, e mentalmente abalado, dividido. Logan presenteia o público com uma visão mais humana de um herói desgastado pela luta ao longo dos anos. O resultado é um filme mais crível, mais pé no chão, ainda que seja um filme de herói.

O mesmo deveria ser feito pela sua empresa!

Comunicar pela Internet não é só dizer que seus produtos e serviços são incríveis, ou que o seu público consumidor adora a sua marca. É preciso humanizar a relação, aproximar do seu público, da sua realidade, dos seus desejos e necessidades.

Ok, não é fácil fazer isso. Mas todos nós já sabemos que grandes poderes requerem grandes responsabilidades não é mesmo?!

Como é a jornada do cliente na Kamus?

Certamente você já ouviu falar da Jornada do Consumidor. Existem muitos sites com centenas de artigos ensinando técnicas e metodologias sobre que tipo de conteúdo e abordagem usar em cada fase.

Mas esse não é o objetivo desse artigo.

Hoje eu quero contar pra você que chegou até esse site, já leu sobre a forma que trabalhamos aqui, mas ainda não entendeu direito como tudo funciona. Esse artigo foi criado para explicar e influenciar você a tomar uma decisão de compra: a contratação de um dos nossos produtos.

Apertem o cinto!

Vamos iniciar por onde tudo começa: a sua necessidade!

Imaginemos que a sua empresa é um escritório de contabilidade. Vocês não possuem um site, nem redes sociais. Só um logotipo. Ao chegar no nosso site através do artigo que fala sobre ‘cases’ de sucesso na Internet vocês acharam interessante existirem empresas mais sérias que fazem uma comunicação muito diferente nos seus sites e nas redes sociais.

Mas aí pintou o receio!

Como uma empresa de contabilidade pode se comunicar assim sem passar uma imagem de irresponsabilidade? Afinal, estamos falando de contabilidade. Um serviço mega sério.

Pois é, nós compreendemos que é difícil entender, por isso nós vamos facilitar e criamos uma linha do tempo para você entender as etapas de trabalho e como a sua empresa poderá a ser outro ‘case’ de sucesso de comunicação.

Vamos lá:

1ª Fase – Contratação

  • VOCÊ ESCOLHE UM PRODUTO
    Como a necessidade é um site, você escolheram o produto “Criação de site WordPress com layout exclusivo“. A Kamus enviará um e-mail com o orçamento, prazos de produção, e se a empresa estiver de acordo, é só retornar aprovando.
  • CONTRATANDO A KAMUS
    Na sequência a Kamus providenciará um e-mail com os dados para pagamento e agendará uma data para conversar sobre o briefing do projeto. (Para as empresas da cidade do Rio de Janeiro a reunião será presencial, as demais cidades, a reunião será remota via Whatsapp ou Hangout.)

2ª Fase – Planejamento

  • BRIEFING DO PROJETO
    Onde tudo começa. Essa reunião tem como objetivo conhecer a empresa e seus gestores, para traçar um perfil do estilo, abordagem, e claro, vamos conversar muito sobre o negócio e seu mercado. Dessa reunião nascerá o documento chamado “Briefing do projeto” que servirá de guia para todas as tomadas de decisões.
  • ANÁLISE S.W.O.T.
    Agora a Kamus fará uma profunda pesquisa de mercado para criar um segundo documento chamado “Análise S.W.O.T.“, com objetivo de definir as Forças (Strengths), Fraquezas (Weaknesses), Oportunidades (Opportunities) e Ameaças (Threats) da empresa para traçar uma estratégia de comunicação frente ao mercado.
  • ARQUITETURA DE INFORMAÇÃO
    Uma vez traçada a estratégia, agora é vez de definir a Arquitetura de Informação, ou seja, planejar todos os elementos de comunicação das páginas para ser usado como base da criação de conteúdo e layout. Nessa fase criaremos o documento “Arquitetura de Informação e Estrutura de Páginas“, que será usado por todos os profissionais.

3ª Fase – Produção

  • REDAÇÃO WEB
    Entra em produção o profissional de criação de conteúdo. O objetivo dele é criar todos os textos que irão compor o site, sempre levando em consideração a estratégia da abordagem, estilo de comunicação e metas de conversão a serem atingidas.
  • DESIGN WEB
    Nessa fase o designer web cria todas as telas do layout do site. Começando pelas telas de smartphones, passando pelo tablet e terminando no desktop. A meta é criar uma interface responsiva que seja acessível em todos os navegadores e plataformas.
  • DESENVOLVIMENTO WEB
    Fase de implementar o layout no CMS WordPress e garantir o funcionamento do site tanto na parte externa (front-end) quanto interna (back-end). O site precisa funcionar corretamente em todos os navegadores e plataformas.

4ª Fase – Lançamento

  • TESTE DE USO
    Última fase antes do lançamento, a ideia aqui é testar todas as páginas e elementos de interação como botões de formulários, links e outros para buscar possíveis erros para serem corrigidos.
  • LANÇAMENTO
    Fazer a migração da versão de testes para o servidor final, abrir o site e gerar muitos negócios!
  • TREINAMENTO DE USO
    Com o site no ar, é hora de fazer o treinamento com a equipe que irá atualizá-lo para que tenham autonomia de uso.

Em todas as fases, o seu papel como cliente é interagir comentando, aprovando e reprovando as demandas. E você fará isso sem precisar ficar escrevendo inúmeros e-mails que normalmente ficam lotando a sua ‘inbox‘ e acabam perdidos sem resposta.

Na Kamus nós utilizamos a plataforma Trello para controlar a produção. Cada demanda citada aqui está num ‘card‘ com tudo que é necessário para que os coworkers possam trabalhar nela. O Trello é super flexível, fácil de usar, tem uma curva de aprendizado super-rápida e o melhor de tudo, você pode usar um perfil gratuito para acessar o seu projeto, basta cadastrar-se nesse link.

E aí, compreendeu como será a sua jornada?

Garanto que ela será simples, focada e como resultado, você terá o melhor produto para começar a gerar negócios!