Por que a sua empresa ainda não tem um site que vende?

Certamente porque você contratou alguém para fazer um layout e não para desenvolver uma solução para o seu negócio! E eu não estou dizendo com isso que design não vende. Não muito pelo contrário. O design auxilia a venda e motiva o consumo. Avaliar uma peça visual de um site apenas pela estética e não pelo eficácia em negócios, é um tremendo desperdício!

Na Kamus nós entendemos que todo site é uma peça de comunicação, e como tal, precisa ter objetivos claros e metas a serem atingidas. A criação é baseada na conversão e mesmo que o seu negócio não transacione através do site, a tomada de decisão do consumidor passa por essa comunicação e documentar essa tarefa para criar uma solução visual é fundamental.

O usuário está no centro de tudo

Criar layouts que ignorem a necessidade do usuário é o mesmo que rasgar dinheiro. Num mundo onde não há mais o conceito “entrar na Internet”, pois nós estamos na Internet o tempo todo através dos dispositivos móveis (leia o artigo sobre site responsivo), dar ao usuário aquilo que ele necessita é inteligente e faz bem ao seu negócio.

Todo layout deve ter o usuário como o centro de tudo! É preciso mapear os seus desejos, necessidades e só então podemos desenvolver soluções visuais para atendê-lo.

Mas se a sua empresa ainda tem um site que você acha lindão, mas não vende, ou pior, nem sabe se vende, está na hora de um redesign.

Você não acha!?

A importância do design na comunicação

No dia 26 de fevereiro de 2017 aconteceu a histórica 89ª edição o Oscar! Histórica não só pela qualidade dos filmes e atores, mas como também, por uma das maiores gafes de que se tem notícia! Quem acompanhou a entrega dos prêmios até tarde para saber qual filme seria consagrado como o melhor do ano, viu o ator Warren Beatty se enrolar totalmente com o envelope durante mais tempo do que o normal, quando a atriz Faye Dunaway anunciou:

“La La Land”.

Toda equipe subiu até o palco e no terceiro agradecimento, o produtor do filme La La Land anuncia que Moonlight era o vencedor! Na verdade, o envelope que estava na mão de Warren Beatty era o de melhor atriz. Prêmio ganho instantes antes pela Emma Stone, também do filme La La Land, por isso a enorme dúvida do Warren Beatty.

Mas qual é a relação da gafe com design?

Ok, houve um erro. A troca dos envelopes por alguém da organização e a falta de jogo de cintura do casal Warren Beatty e Faye Dunaway foram determinante para o que aconteceu.

Mas alguns dias depois, o criativo Benjamin Bannister fez uma proposta de mudança no envelope que vale o argumento. Ele sugeriu um redesign da tipologia e disposição dos elementos focados na ação. Ou seja, na conversão!

Sim, conversão!

Basta refletirmos: qual é o objetivo do envelope? Anunciar um vencedor de uma determinada categoria, e de um determinado filme.

Perceberam que o envelope trocado do Oscar possui o nome da vencedora e do filme do MESMO TAMANHO, quando na verdade o principal seria o nome da atriz Emma Stone!?

Certamente se o design do envelope fosse como o proposto pelo Benjamin, chamaria mais atenção dos atores, que poderiam notar que o envelope estava trocado, evitando a gafe. Quem sabe ano que vem, eles contratam o Benjamim pra isso!?

Chega de dizer “Feliz Ano Novo” depois do Carnaval

Durante o meu período de 8 anos como freelancer, sempre me incomodou muito a mentalidade do empresário brasileiro achar que o ano só começa depois do Carnaval.

É fato. Como freelancer, eu percebia um comportamento recorrente de deixar a tomada de decisão de investir pela Internet pra depois da maior festa popular do Brasil.

A minha rotina era prospectar, pedir retorno sobre as propostas e escutar a frase “vamos esperar passar o Carnaval e depois conversamos novamente ok!?” Isso sempre foi muito frustrante para mim, pois achava que eu nunca venceria esse movimento e então eu resolvi mudar o meu ‘mindset‘, para só então criar a cultura do empresário brasileiro, e esse é o objetivo desse post!

Não é preciso deixar de pular Carnaval, nem achar que ele atrapalha o Brasil. A comunicação da sua empresa pode ser planejada estrategicamente para engajar com o público exatamente nesse época, sem ter que esperar a quarta-feira de cinzas para começar a pensar a gerar negócios no ano!

Como diz o ditador popular:

“Quem não é visto, não é lembrado.”

E se você esperar o bloco passar, certamente só começará o ano depois da quaresma!

A sua empresa está preparada para ouvir o consumidor?

Muito se fala sobre a oportunidade de falar diretamente com o consumidor através das plataformas de redes sociais. Nunca na história da sociedade foi possível essa relação tão estreita e tão acessível por conta das novas tecnologias.

Acontece que esses saltos tecnológicos geram não só novas oportunidades para as pessoas e empresas, mas como também criam novos comportamentos que antes sequer existiam. Ou você sabe de cor todos os números de telefones da maioria das pessoas que você conhece? Ou ainda aluga DVDs na locadora?

O mundo mudou tanto e tão rápido, que mesmo os empresários que estão surfando a onda tecnológica com negócios de ponta, correm o risco de ficarem ultrapassados por não serem capazes de se comunicar com o seu público.

Um exemplo disso foi a notícia recente do CEO da Uber, Travis Kalanick, que bateu boca com um motorista da sua empresa enquanto era transportado. A discussão foi filmada por Fawzi Kamel, dono do carro. Ele aproveitou a presença do CEO da empresa para reclamar das estratégias atuais mais polêmicas e das condições de trabalho, e o que ouviu foi, entre outras coisas, a seguinte frase:

“Muita gente não gosta de se responsabilizar pelos próprios problemas e prefere culpar outras pessoas. Boa sorte!”

Como CEO da empresa, Travis Kalanick perdeu a oportunidade de entender melhor as necessidades de um dos seus maiores ativos, os motoristas. Afinal, são eles que possibilitam que o seu negócio exista. Portanto, tratá-los como cliente interno é tão estratégico quanto ajustar os valores das tarifas para se defender dos concorrentes como a Lyft e Cabify.

Claro que o vídeo desse episódio foi publicado pelo motorista, e obrigou Travis a divulgar uma nota de desculpas no site da empresa.

Como lição, nós aprendemos que todo canal de comunicação da empresa com o seu público precisa ser tratado de forma respeitosa, e acima de tudo, humana. Afinal, as empresas são feitas de pessoas, e quanto mais a relação com o consumidor for humanizada, maior a chance de engajamento.

A comunicação da sua empresa pensa realmente fora da caixa?

Usa-se muito a expressão “pensar fora da caixa” hoje em dia. Basta acessar qualquer site de marketing digital para constatar essa máxima. Mas afinal, a sua empresa está realmente fazendo uma comunicação “fora da caixa”?

Na verdade mesmo, são poucas marcas que comunicam e convertem usando uma comunicação fora do convencional. E não é por falta de vontade ou iniciativa. É porque é muito difícil mesmo encontrar uma voz diferenciada, ajustar o tom e ainda sim fazer uma conversão. Não é fácil!

Será que a sua empresa está pronta pra assumir uma comunicação assim?

Mas há quem comunique fora da caixa e ainda cria uma base de fãs que ampliam a experiência com a marca. Quem se lembra da famosa página do Cemitério Jardim da Ressurreição no Facebook? Com publicações cravejadas de bom-humor, a comunicação foge do ‘modus operandi‘ de seus similares e vira a única marca memorável de seu segmento.

Outra página no Facebook que descobri recentemente é a Pony Veículos. Uma loja de carros usados que anuncia de forma inusitada seus produtos e arranca boas gargalhadas e claro, fica na mente de possíveis clientes.

Fiat Uno Deus das Estradas

Um Uno Fire 2007/08 definido como “vilão confirmado na próxima temporada do The Flash” e dono de um “design cubista revolucionário de Pablo Picasso”, além de outras qualidades impublicáveis. A Pony diz que o popular é um carro voltado para “homens sérios, trabalhadores e que estão à procura de um relacionamento duradouro”.

Já imaginou anunciar um carro assim? Pois é, essa é a estratégia da empresa, que garante, está vendendo como nunca! Uma coisa é certa: garanto que você riu quando leu o anúncio. Daí para uma compra é apenas um pulo se a conveniência do produto alinhar com a sua necessidade.

Pense nisso!

O site da sua empresa ainda não é responsivo?

Lamento informá-lo que você está perdendo dinheiro. E não estamos falando apenas com a criação, desenvolvimento e hospedagem do site não. Estamos falando de vendas diretas ou indiretas mesmo! Não está convencido? Jeff Bezos (sim, ele de novo!), CEO da Amazon citou certa vez:

“Esse 1 segundo é essencial para fornecer uma grande experiência ao usuário”

Ele estava se referindo ao tempo de carregamento das páginas da Amazon na época, que foi totalmente remodelado, depois de descobrirem que para cada 1 segundo de espera pelo usuário, isso impactava um prejuízo de 1,6 bilhão em vendas para Amazon.

Segundo Bezos, a pesquisa interna também mostrou que a demora de 4 segundos fazia com que 25% dos usuários desistissem de acessar o site e se a demora fosse de 10 segundos, esse número aumentava para 50%!

Ou seja, cada segundo vale, e muito!

Agora imagine o impacto disso no mobile! Mesmo que a sua empresa não seja a Amazon, certamente você perde dinheiro sem ter um site optimizado para os dispositivos móveis. É aí que entra o design responsivo!

Sem entrar muito no tecnicismo de seu funcionamento, o que você precisa saber é que o site com layout responsivo indica que ele foi projetado para se adaptar a qualquer dispositivo de tela ou plataforma. Se isso ainda não o preocupa, lembre-se de que desde 2014, o celular é o dispositivo preferido dos (79 milhões) brasileiros para acessar a Internet. Não só para redes sociais, mas como para todo uso de Internet!

O Google também prefere sites responsivos

Desde 2015 o Google indica nos resultados de busca a expressão ‘mobile friendly‘ que informa ao usuário que a aquele site é optimizado para dispositivos móveis, portanto, ideal para quem fez a busca num smartphone, fazendo com que o ‘ranking’ dos sites responsivos aumentem cada vez mais. E advinha o que acontecerá com o seu site não-responsivo! Isso mesmo, vai para o final da fila!

Na Kamus, 100% dos nossos projetos são responsivos e testados em várias telas e dispositivos, fazendo com que o seu site, e-commerce, blog, e-mail, seja acessíveis para todos os tipos de públicos, independente dos dispositivos.

Comunique a cultura de valores da empresa e evite uma crise nas redes sociais

No começo desse mês, um homem foi demitido de uma empresa da construção civil onde estagiava, por postar conteúdo machista e preconceituoso no seu Facebook enquanto trabalhava nas dependências da empresa. Claro que a Internet não perdoou e ele foi demitido, e o caso ganhou repercussão nacional.

A empresa de Maringá publicou um pedido de desculpas na sua página no Facebook (vide box) e informou o desligamento do estagiário. Claro que esse fato, de certa forma, mancha a imagem da empresa.

Por mais que tenha ficado claro que as menções do estagiário não representavam os valores da empresa, ainda sim, ela possui responsabilidade em não ter criado essa cultura junto aos seus colaboradores e pode ser que leve tempo para que esse imagem seja restaurada na mente das pessoas.

Felizmente a empresa agiu rapidamente e está trabalhando para reverter o caso. Por isso, fica a dica para você empresário que ainda não entende como as redes sociais funcionam:

Pensar em comunicação não é apenas criar bons conteúdos engajados, mas também passar a cultura da empresa para o seu público, além dos seus funcionários e colaboradores.

Seu site Wix gera negócio para a sua empresa?

Se você respondeu não para essa pergunta, continue a leitura, pois esse artigo foi escrito para você!

Wix é uma plataforma de construtor de sites no estilo faça você mesmo bastante popular na Internet, e que muitos empresários tem usado como opção de comunicação para as suas empresas. É uma plataforma de fácil aprendizado, que em poucos minutos você cria um perfil, escolhe o ‘layout‘ e rapidamente você tem um site no ar, moderno e com a possibilidade de ser incrementado com mais de 200 aplicativos, potencializando o seu projeto.

Mas a pergunta que fica é:

Será que você consegue gerar VALOR para o seu negócio através de um site que você mesmo fez?

Com certeza não!

Ao contrário do que diz o ator Shia Labeouf no vídeo “Just do it!“, seus sonhos não deixarão de serem sonhos só porque você mesmo faz a comunicação da sua empresa!

Comunicação é para profissionais de comunicação.

Aqui na Kamus nós acreditamos na força do time para criar soluções plurais, uma vez que entendemos que isso é uma ciência multidisciplinar. Antes a comunicação era feita de um para muitos, sem segmentação alguma num esquema totalmente ditatorial.

Hoje, o cliente está em todas as plataformas e espera uma comunicação individualizada, e o que propomos aqui é unirmos forças, empresários e Kamus para focarmos nos clientes.

“Nós sempre inovamos começando pelo ‘cliente’ e trabalhando de trás para frente. Isso se torna o nosso ‘padrão de qualidade’ de como inovar na Amazon.”

(Jeff Bezos, CEO da Amazon)

Jeff Bezos trabalha toda a experiência do usuário em primeiro lugar e por isso a Amazon ocupa uma posição de destaque do e-commerce mundial. O foco é comunicar sob a óptica do cliente!

Agora seja sincero, qual é resposta você acha que serve para a pergunta do título?

Somos todos criativos

Olá, eu me chamo Cristiano Santos, sou designer web e criador da Kamus Hub de Profissionais. E esse é o meu artigo de estreia e eu fiquei pensando em qual tema trazer para abrir a comunicação do blog que conseguisse atingir tanto o cliente, empresário ou empreendedor, e ao mesmo tempo, o profissional como designer, front-end ou planner. A dificuldade de escrever esse tipo de artigo é grande pois são públicos com necessidades específicas e de consumo de conteúdo tão diferentes, mas esse é o desafio, vamos encarar.

Como empreendedor, eu tenho como meta, contextualizar o conceito da Kamus como modelo de negócio explicando o que vendemos, e ao mesmo tempo estimular profissionais a se sentiram motivados a criar um ambiente de colaboração de inteligência coletiva em projetos da mesma forma que ocorrem em vários escritórios de coworking pelo mundo.

Então, como profissional de comunicação, fiz o básico que se espera ao criar esse tipo de conteúdo que é começar com a necessidade desses dois públicos que nós esperamos atingir, que solução nós resolvemos para cada um deles, e claro, que benefícios serão agregados ao escolher a Kamus! Pronto, está delineado o meu artigo de estreia!

Não tá fácil pra ninguém!

Não importa, seja empresário ou profissional, todos usam a frase acima para se justificar um com o outro. Pelo lado do cliente o cenário político-econômico do país o obriga a apertar o cinto, cortar custos, rever processos, tudo com objetivo de diminuir despesas. Já pelo lado do profissional, esse mesmo cenário faz com que ele não possa escolher projetos em que gostaria de trabalhar, e acaba absorvendo mais demandas e horas de trabalho para conseguir pagar as contas no fim do mês. O resultado disso é mais dificuldade de cumprir seus compromissos, e lógico, menos qualidade de vida para ambos.

Conceito coworking

A cada ano que passa, mais e mais empresas aderem o formato de coworking permitindo que seus funcionários trabalhem de casa aumentando radicalmente a produtividade e a qualidade de vida de seus contratados. O conceito é muito inteligente e sustentável, uma vez que a redução de custos permite que ambos os lados economizem tempo e dinheiro. E porque não aderir esse mesmo conceito, contratando uma equipe de profissionais espalhados pelos quatro cantos do mundo, sem precisar fazer a gestão de cada um deles?!

Pluralidade, foco e controle de qualidade

Segundo David Keller (assista o vídeo  seguir), “todos somos criativos“. Não importa a sua área, o conjunto de ‘expertises‘ diferentes só aumenta a pluralidade de competências do seu projeto e de cada um que atua nele. Ou seja, é bom pra clientes e profissionais. A gestão do time é demanda da Kamus, e nós usamos ferramentas que auxiliam nessa tarefa, e ainda permitem avaliar em tempo real o que está em produção e ambos os lados podem dar ‘feedback’ sobre os processos.

O que é a Kamus?

Geralmente eu respondo que não somos uma agência digital, apesar de prestar os mesmos tipos de serviços. Então eu respondo que somos mais que um time. Nós somos o projeto! Nossa missão é entregar o melhor produto, com a melhor experiência de criação possível, e de forma colaborativa.

Se você é empresário e gostou desse conceito, seja bem-vindo! Agora se você é profissional designer web ou gráfico, front-end, back-end, fullstack, planner ou redator web, e gostou do formato, seja bem-vindo também!

Aqui, todos somos a Kamus!