E se a produção durar mais do que o tempo estimado no produto?

Nós usamos o blog não só para criar conteúdo conceitual sobre os nossos serviços engajando possíveis interessados nos nossos produtos. A ideia aqui é também responder empresários e coworkers nas suas principais dúvidas e o artigo de hoje visa argumentar um pouco mais sobre o prazo de entrega.

Num artigo recente nós mostramos como os projetos são acompanhados pelos clientes dentro da plataforma Trello. O texto mostra detalhadamente como é o fluxo de produção e como os clientes podem verificar o que está sendo produzido e intervir quando julgar necessário.

Só isso já é um grande diferencial de mercado, deixando a produção em tempo real, evitando aqueles enormes hiatos entre a contratação e a aproximação da data de entrega estimada.

Mas se algo sair errado? O que acontece?

Mesmo antes da produção começar, toda a estrutura foi pensada para minimizar os seus ruídos. Na montagem de time, o briefing é usado como catalizador na escolha do perfil de coworker mais adequado para o projeto.

Mesmo assim, se durante a produção, percebermos que ela está comprometida por alguma falha na gestão de equipe, a Kamus fará a troca de membro(s) do time sem custo para o cliente, e sem comprometer o prazo. Afinal, como sempre dissemos por aqui:

Prazo é sagrado!

Chega de dizer “Feliz Ano Novo” depois do Carnaval

Durante o meu período de 8 anos como freelancer, sempre me incomodou muito a mentalidade do empresário brasileiro achar que o ano só começa depois do Carnaval.

É fato. Como freelancer, eu percebia um comportamento recorrente de deixar a tomada de decisão de investir pela Internet pra depois da maior festa popular do Brasil.

A minha rotina era prospectar, pedir retorno sobre as propostas e escutar a frase “vamos esperar passar o Carnaval e depois conversamos novamente ok!?” Isso sempre foi muito frustrante para mim, pois achava que eu nunca venceria esse movimento e então eu resolvi mudar o meu ‘mindset‘, para só então criar a cultura do empresário brasileiro, e esse é o objetivo desse post!

Não é preciso deixar de pular Carnaval, nem achar que ele atrapalha o Brasil. A comunicação da sua empresa pode ser planejada estrategicamente para engajar com o público exatamente nesse época, sem ter que esperar a quarta-feira de cinzas para começar a pensar a gerar negócios no ano!

Como diz o ditador popular:

“Quem não é visto, não é lembrado.”

E se você esperar o bloco passar, certamente só começará o ano depois da quaresma!

A sua empresa está preparada para ouvir o consumidor?

Muito se fala sobre a oportunidade de falar diretamente com o consumidor através das plataformas de redes sociais. Nunca na história da sociedade foi possível essa relação tão estreita e tão acessível por conta das novas tecnologias.

Acontece que esses saltos tecnológicos geram não só novas oportunidades para as pessoas e empresas, mas como também criam novos comportamentos que antes sequer existiam. Ou você sabe de cor todos os números de telefones da maioria das pessoas que você conhece? Ou ainda aluga DVDs na locadora?

O mundo mudou tanto e tão rápido, que mesmo os empresários que estão surfando a onda tecnológica com negócios de ponta, correm o risco de ficarem ultrapassados por não serem capazes de se comunicar com o seu público.

Um exemplo disso foi a notícia recente do CEO da Uber, Travis Kalanick, que bateu boca com um motorista da sua empresa enquanto era transportado. A discussão foi filmada por Fawzi Kamel, dono do carro. Ele aproveitou a presença do CEO da empresa para reclamar das estratégias atuais mais polêmicas e das condições de trabalho, e o que ouviu foi, entre outras coisas, a seguinte frase:

“Muita gente não gosta de se responsabilizar pelos próprios problemas e prefere culpar outras pessoas. Boa sorte!”

Como CEO da empresa, Travis Kalanick perdeu a oportunidade de entender melhor as necessidades de um dos seus maiores ativos, os motoristas. Afinal, são eles que possibilitam que o seu negócio exista. Portanto, tratá-los como cliente interno é tão estratégico quanto ajustar os valores das tarifas para se defender dos concorrentes como a Lyft e Cabify.

Claro que o vídeo desse episódio foi publicado pelo motorista, e obrigou Travis a divulgar uma nota de desculpas no site da empresa.

Como lição, nós aprendemos que todo canal de comunicação da empresa com o seu público precisa ser tratado de forma respeitosa, e acima de tudo, humana. Afinal, as empresas são feitas de pessoas, e quanto mais a relação com o consumidor for humanizada, maior a chance de engajamento.

Qual é a garantia da Kamus na entrega do produto dentro do prazo?

Toda empresa de prestação de serviço diz a mesma coisa: tem o melhor produto, os seus clientes estão sempre satisfeitos, e entrega tudo sempre dentro do prazo.

Na Kamus tudo é baseado na inteligência coletiva. Isso significa que muitos estão pensando em soluções para todos! Seja na contratação, na produção, na aprovação e na entrega. A opinião de quem faz parte do processo para melhorá-lo continuamente é o nosso perfil.

Quando modelei a Kamus pela primeira vez, ela já pensava fora da caixa desde a forma de se vender, quanto na execução. De lá pra cá, com a entrada de vários coworkers que somaram com novas ideias e experiências, esse modelo foi se ajustando com cada pequeno processo, chegando no modelo que temos hoje, e que garantimos que ainda vai continuar mudando!

E qual é a relação da Kamus com os prazos?

Num artigo recente citamos as 3 coisas são sagradas por aqui: Briefing, prazo e criatividade!

Como o escopo dos nossos produtos são fechados, a produção ocupa praticamente o mesmo número de horas para os coworkers, independente da sua velocidade ou estilo. Cabendo à Kamus monitorar e ajustar o que for necessário para que o fluxo de produção não se interrompa e o prazo seja cumprido.

A estimativa de tempo de produção de cada coworker foi validada na minha atuação como freelancer nos últimos 8 anos, e chegamos na quantidade de horas de cada produto atual. Mas se mesmo assim, um projeto ultrapassar o tempo estimado de alguma fase, a Kamus cobrirá o(s) custo(s) junto ao(s) profissional(is) envolvido(s), não onerando o valor final do produto para o cliente. Ou seja, garantimos a entrega no prazo, sempre!

A comunicação da sua empresa pensa realmente fora da caixa?

Usa-se muito a expressão “pensar fora da caixa” hoje em dia. Basta acessar qualquer site de marketing digital para constatar essa máxima. Mas afinal, a sua empresa está realmente fazendo uma comunicação “fora da caixa”?

Na verdade mesmo, são poucas marcas que comunicam e convertem usando uma comunicação fora do convencional. E não é por falta de vontade ou iniciativa. É porque é muito difícil mesmo encontrar uma voz diferenciada, ajustar o tom e ainda sim fazer uma conversão. Não é fácil!

Será que a sua empresa está pronta pra assumir uma comunicação assim?

Mas há quem comunique fora da caixa e ainda cria uma base de fãs que ampliam a experiência com a marca. Quem se lembra da famosa página do Cemitério Jardim da Ressurreição no Facebook? Com publicações cravejadas de bom-humor, a comunicação foge do ‘modus operandi‘ de seus similares e vira a única marca memorável de seu segmento.

Outra página no Facebook que descobri recentemente é a Pony Veículos. Uma loja de carros usados que anuncia de forma inusitada seus produtos e arranca boas gargalhadas e claro, fica na mente de possíveis clientes.

Fiat Uno Deus das Estradas

Um Uno Fire 2007/08 definido como “vilão confirmado na próxima temporada do The Flash” e dono de um “design cubista revolucionário de Pablo Picasso”, além de outras qualidades impublicáveis. A Pony diz que o popular é um carro voltado para “homens sérios, trabalhadores e que estão à procura de um relacionamento duradouro”.

Já imaginou anunciar um carro assim? Pois é, essa é a estratégia da empresa, que garante, está vendendo como nunca! Uma coisa é certa: garanto que você riu quando leu o anúncio. Daí para uma compra é apenas um pulo se a conveniência do produto alinhar com a sua necessidade.

Pense nisso!

O site da sua empresa ainda não é responsivo?

Lamento informá-lo que você está perdendo dinheiro. E não estamos falando apenas com a criação, desenvolvimento e hospedagem do site não. Estamos falando de vendas diretas ou indiretas mesmo! Não está convencido? Jeff Bezos (sim, ele de novo!), CEO da Amazon citou certa vez:

“Esse 1 segundo é essencial para fornecer uma grande experiência ao usuário”

Ele estava se referindo ao tempo de carregamento das páginas da Amazon na época, que foi totalmente remodelado, depois de descobrirem que para cada 1 segundo de espera pelo usuário, isso impactava um prejuízo de 1,6 bilhão em vendas para Amazon.

Segundo Bezos, a pesquisa interna também mostrou que a demora de 4 segundos fazia com que 25% dos usuários desistissem de acessar o site e se a demora fosse de 10 segundos, esse número aumentava para 50%!

Ou seja, cada segundo vale, e muito!

Agora imagine o impacto disso no mobile! Mesmo que a sua empresa não seja a Amazon, certamente você perde dinheiro sem ter um site optimizado para os dispositivos móveis. É aí que entra o design responsivo!

Sem entrar muito no tecnicismo de seu funcionamento, o que você precisa saber é que o site com layout responsivo indica que ele foi projetado para se adaptar a qualquer dispositivo de tela ou plataforma. Se isso ainda não o preocupa, lembre-se de que desde 2014, o celular é o dispositivo preferido dos (79 milhões) brasileiros para acessar a Internet. Não só para redes sociais, mas como para todo uso de Internet!

O Google também prefere sites responsivos

Desde 2015 o Google indica nos resultados de busca a expressão ‘mobile friendly‘ que informa ao usuário que a aquele site é optimizado para dispositivos móveis, portanto, ideal para quem fez a busca num smartphone, fazendo com que o ‘ranking’ dos sites responsivos aumentem cada vez mais. E advinha o que acontecerá com o seu site não-responsivo! Isso mesmo, vai para o final da fila!

Na Kamus, 100% dos nossos projetos são responsivos e testados em várias telas e dispositivos, fazendo com que o seu site, e-commerce, blog, e-mail, seja acessíveis para todos os tipos de públicos, independente dos dispositivos.

Como é feita a escolha dos times nos projetos da Kamus?

Sempre que um profissional se interessa em ser um coworker na Kamus eu recebo frequentemente a mesma pergunta do título desse artigo. É uma dúvida muito comum e então nós resolvemos transformá-la num post.

A Kamus foi idealizada baseada em 3 princípios básicos para os coworkers:

  • Jobs que não mudam escopo todo tempo
  • Prazo de produção aceitáveis
  • Pagamento justo e com data definida

A máxima é que cada coworker trabalhe com 100% foco no job em que foi alocado, usando a sua conveniência de local e tempo, gerando maior qualidade vida. Na Kamus nós acreditamos que esse cenário é bom para os coworkers, como também é para os clientes, que terão resultados mais satisfatórios.

Como é o critério de montagem do time?

Por conta disso, cada projeto que chega por aqui, gera um interesse de vários profissionais que respondem os briefings de montagem de times e nós precisamos criar um critério para a escolha dos profissionais. São eles:

  • Perfil do coworker – Quanto mais o perfil for próximo ao tipo de projeto, melhor!
  • Experiências anteriores – Vale muito possuir experiência em projetos similares ao que vamos atuar.
  • Disponibilidade – Com o time definido, o início de produção leva no máximo até 48h.
  • Velocidade no retorno – Quanto mais rápido você entrar em contato mostrando interesse, maiores as suas chances.

E como funciona na prática?

Assim que um contrato é fechado na Kamus, nós entramos agendamos uma reunião remota com o cliente (ou responsável pelas aprovações) para criarmos o documento de briefing. Além de informações técnicas, essa conversa traça o perfil conceitual do projeto, fundamental para a escolha dos profissionais.

Depois disso a Kamus envia um e-mail para toda a base (E-mail e Slack) com um vídeo explicativo com todos os detalhes do projeto e cada coworker interessado nos responde contando a sua ideia sobre o briefing do projeto. É baseado nessa resposta é que avaliamos o perfil do coworker e definimos o time.

Se você quiser receber o envio do briefing toda vez que estivermos montando um time, cadastre-se na base de e-mails ou participe do grupo Slack da Kamus e responda sempre que se interessar por um projeto.

Comunique a cultura de valores da empresa e evite uma crise nas redes sociais

No começo desse mês, um homem foi demitido de uma empresa da construção civil onde estagiava, por postar conteúdo machista e preconceituoso no seu Facebook enquanto trabalhava nas dependências da empresa. Claro que a Internet não perdoou e ele foi demitido, e o caso ganhou repercussão nacional.

A empresa de Maringá publicou um pedido de desculpas na sua página no Facebook (vide box) e informou o desligamento do estagiário. Claro que esse fato, de certa forma, mancha a imagem da empresa.

Por mais que tenha ficado claro que as menções do estagiário não representavam os valores da empresa, ainda sim, ela possui responsabilidade em não ter criado essa cultura junto aos seus colaboradores e pode ser que leve tempo para que esse imagem seja restaurada na mente das pessoas.

Felizmente a empresa agiu rapidamente e está trabalhando para reverter o caso. Por isso, fica a dica para você empresário que ainda não entende como as redes sociais funcionam:

Pensar em comunicação não é apenas criar bons conteúdos engajados, mas também passar a cultura da empresa para o seu público, além dos seus funcionários e colaboradores.

Como eu posso participar dos projetos na Kamus?

Quando Tim Berners-Lee criou a primeira página de Internet do Mundo em 1991, ele imaginava que a sua criação ajudaria a troca de informação entre pessoas dando acesso a qualquer tipo de assunto de qualquer lugar do planeta. Passados mais de 35 anos, hoje é praticamente impossível viver fora da Internet uma vez que estamos conectados praticamente 100% do tempo.

E se estamos sempre conectados, os novos negócios moldam a nova economia e empresas não podem mais se dar ao luxo de não possuírem uma presença online, seja através dos seus sites ou redes sociais. Na Kamus nós acreditamos que a comunicação forma novas oportunidades de negócios e montamos times multidisciplinares para isso.

Designers, desenvolvedores, redatores e planners, todos são bem-vindos na Kamus!

Aqui focamos o trabalho de nossos projetos usando a inteligência coletiva, onde cada profissional contribui para o sucesso de um cliente. Não é a toa que nós chamamos vocês de coworkers!

Como cada projeto deve atingir centenas de milhares de pessoas, nada mais inteligente do que o time tenha voz e contribua criando uma melhor experiência para usuário, além de integrar melhor as disciplinas, tão departamentalizadas pelo mercado.

Na Kamus não temos barreiras, nem mesas, nem plaquinhas na porta. Cada um trabalha onde quiser e como quiser. Só 3 coisas são sagradas na Kamus: Briefing, prazo e criatividade!

Seu site Wix gera negócio para a sua empresa?

Se você respondeu não para essa pergunta, continue a leitura, pois esse artigo foi escrito para você!

Wix é uma plataforma de construtor de sites no estilo faça você mesmo bastante popular na Internet, e que muitos empresários tem usado como opção de comunicação para as suas empresas. É uma plataforma de fácil aprendizado, que em poucos minutos você cria um perfil, escolhe o ‘layout‘ e rapidamente você tem um site no ar, moderno e com a possibilidade de ser incrementado com mais de 200 aplicativos, potencializando o seu projeto.

Mas a pergunta que fica é:

Será que você consegue gerar VALOR para o seu negócio através de um site que você mesmo fez?

Com certeza não!

Ao contrário do que diz o ator Shia Labeouf no vídeo “Just do it!“, seus sonhos não deixarão de serem sonhos só porque você mesmo faz a comunicação da sua empresa!

Comunicação é para profissionais de comunicação.

Aqui na Kamus nós acreditamos na força do time para criar soluções plurais, uma vez que entendemos que isso é uma ciência multidisciplinar. Antes a comunicação era feita de um para muitos, sem segmentação alguma num esquema totalmente ditatorial.

Hoje, o cliente está em todas as plataformas e espera uma comunicação individualizada, e o que propomos aqui é unirmos forças, empresários e Kamus para focarmos nos clientes.

“Nós sempre inovamos começando pelo ‘cliente’ e trabalhando de trás para frente. Isso se torna o nosso ‘padrão de qualidade’ de como inovar na Amazon.”

(Jeff Bezos, CEO da Amazon)

Jeff Bezos trabalha toda a experiência do usuário em primeiro lugar e por isso a Amazon ocupa uma posição de destaque do e-commerce mundial. O foco é comunicar sob a óptica do cliente!

Agora seja sincero, qual é resposta você acha que serve para a pergunta do título?