Como eu vou acompanhar a produção do que é feito?

Nós sabemos o quanto é difícil lidar com a comunicação em equipe quando estamos num projeto. Em geral são muitos e-mails com cópias para todos do time, muitas mensagens agrupadas, outras separadas, isso sem falar dos e-mails com assuntos genéricos em vez de específicos, entre outras situações.

Isso definitivamente não é produtivo, e pior, o projeto fica comprometido.

Na Kamus nós usamos a plataforma Trello para gerenciar os projetos dos nossos clientes. Com ela o fluxo de produção é centralizado, bem como a comunicação com a equipe e cliente, seja pelo browser, tablet ou smartphone.

Baseado na metodologia Kanban, que visa manter o fluxo de produção sem interrupções, com uma visão clara das demandas e dos possíveis gargalos, o Trello se torna um grande aliado nas tomadas de decisões da produção, agregando muito valor nos projetos.

Conhecendo a plataforma Trello

Para entender o funcionamento do Trello é preciso conhecer os seus principais itens. Começamos pelo ‘board‘ (quadro, em português), que é o local onde o projeto estará.

No ‘board‘ definimos quem faz parte do projeto adicionando todos os membros da equipe, inclusive o cliente.  Para isso, todos devem possuir uma conta na plataforma. O cadastro é gratuito e dá pra criar um perfil em menos de 2 minutos.

Dentro de cada ‘board‘ é possível criar várias ‘lists‘ (listas), de acordo com as necessidades do projeto. As ‘lists‘ funcionam como fases no processo de produção. Na Kamus nós organizamos os projetos com as seguintes fases:

  • Inbox – Aqui temos o repositório de todas demandas do projeto.
  • Doing – Quando uma demanda está nessa lista, significa que estamos executando as suas respectivas tarefas naquele momento.
  • Homologation – Lista de conclusão da demanda. Aqui é o momento de avaliar o que foi feito e comentar os possíveis ajustes.
  • Review – Uma vez homologado, a demanda que é movida para essa lista, todas as novas demanda sugeridas nele deverão ser executadas.
  • Done – Quando uma demana chega nessa lista, significa que tudo está correto e implementado.

Por fim, o último item é a própria demanda em si, que é representada pelo ‘card‘ (cartão). Nela, nós configuramos quem atuará no ‘card‘, que tipo de demanda é, quando precisa ficar pronta, além de outras informações.

Dessa forma, o processo é todo feito através da movimentação dos ‘cards‘ através das ‘lists‘ evitando ter que lidar um volume de e-mails gigante enquanto a produção é feita.

Quais as vantagens desse formato?

A metodologia Kanban nos permite ter um fluxo de produção muito contínuo, independente da quantidade de pessoas envolvidas. Como as tarefas são independentes, cada membro trabalha na sua demanda conforme a sua conveniência. O papel da Kamus é acompanhar a produção e garantir que todos mantenham o fluxo, ajustando-o quando necessário.

Na plataforma Trello isso fica muito claro. Dá facilmente para perceber quando uma demanda não evolui mudando de fase. E isso nos permite trabalhar na solução ou ajuste rapidamente, enquanto todas as outras demandas continuam sendo concluídas.

Até mesmo começar um projeto é bem simples com o Trello. Como os produtos da Kamus possuem escopo fechado, nós já temos os modelos prontos de todos os produtos e em menos de 5 minutos, já é possível criar um ‘board‘ para um novo projeto. A ideia é que na Kamus a experiência na produção do seu projeto seja simplesmente espetacular! Que seja sem estresse e rápido, dando espaço para você focar naquilo que você mais precisa:

Na solução dos seus negócios!

O que é “Escopo fechado” e como isso influencia a contratação na Kamus?

No artigo passado eu contei que a ideia da Kamus surgiu da repetição do formato dos projetos que eu estava fazendo ao longo dos anos. Claro que isso não significa que os projetos eram iguais. Não, muito pelo contrário. Todos tinham características próprias, além da personalidade da empresa que havia me contratado.

Mas então, o que é “escopo fechado” afinal?

A palavra escopo significa “aquilo que se pretende atingir, é a finalidade, o alvo que foi estabelecido como meta final”. Na Kamus, escopo do projeto são as tarefas que devem ser cumpridas para que o produto seja entregue baseado nos seus objetivos.

Isso significa que as tarefas são recorrentes, mas a particularidade em cada uma delas são individuais, portanto, não limitam o projeto.

Vamos ilustrar com um exemplo prático. Todos os projetos que contratarem o produto “Criação de site WordPress com layout exclusivo“, terão as seguintes etapas de produção:

  • Configuração inicial
  • Análise S.W.O.T.
  • Arquitetura de Informação
  • Wireframe
  • Criação de layouts em PSD
  • Gestão de Conteúdo
  • Teste de uso
  • Lançamento
  • Treinamento WordPress

Agora imagine que a sua empresa é um escritório de contabilidade, por exemplo. Há nesse mercado um conjunto de páginas que são fundamentais para o seu negócio, certo? Esse mesmo conjunto de páginas não serve para projetos de empresas como Casa de Festas, Clínica dentária ou fábrica de rodas.

Para cada uma dessas empresas a comunicação será feita conforme a necessidade levantadas no briefing junto com o cliente. A voz da comunicação desse projeto é descoberta na fase “Análise S.W.O.T.“, onde a pesquisa irá mostrar como o mercado dessa empresa atua e qual é a percepção do seu público consumidor. E isso não tem nada a ver com escopo!

(Cena da série de humor “Silicon Valley” da HBO, onde o personagem Jared está tentando ensinar para o seu time o conceito da Análise S.W.O.T.)

O Escopo é fechado, mas a criatividade é ilimitada!

Agora que vocês já entenderam que o escopo não limita a criatividade dos produtos da Kamus, é fundamental esclarecer que qualquer tipo de negócio é bem-vindo por aqui. Todos os coworkers possuem liberdade para criar soluções para cada tipo de negócio. Mais do que isso, nossos coworkers são estimulados a participar, independente da sua área de atuação.

O trabalho de cultura é feito internamente no canal do Slack da Kamus onde diariamente levantamos temas de cada área para debatermos e acima de tudo, pensarmos numa comunicação cada vez mais focada na experiência do usuário, sobretudo nos negócios dos clientes.

E se você é empresário e quer saber mais como a Kamus pode auxiliar a sua empresa a criar uma comunicação mais engajada com o seu público, acesse a página dos nossos produtos e converse conosco!

Como funciona a precificação das horas-técnicas?

Das perguntas que recebemos na Kamus, a relação da precificação é uma das mais frequentes e para respondê-la eu preciso contar como surgiu o projeto Kamus antes, vamos lá!

Analisando os dados de 8 anos de atuação

A Kamus nasceu da minha experiência de 8 anos como freelancer. De vez em quando eu precisava terceirizar algum serviço para agregar ao projeto. Por exemplo, na criação de sites em WordPress com layout exclusivo, eu tinha que contratar um programador para criar a versão HTML do meu layout feito no Photoshop, e depois esse profissional ainda tinha que implementar e configurar para o layout funcionar corretamente no WordPress.

Essa situação passou a ser cada vez mais recorrente nos últimos anos e eu acabei tabulando todos os dados numa planilha com a relação tempo de produção x custo. O mesmo aconteceu com outros serviços, como criar um layout de e-mail marketing, criação de logotipo e material de escritório, etc. Tudo passou a ser tabulado nesse documento.

Por conta disso eu percebi que os prazos eram na maioria das vezes bastante semelhantes e desde que eu aderi a ferramenta Trello para acompanhar a produção dos meus projetos, eu criei modelos de ‘cards‘ com todas as demandas baseadas nessa planilha. Foi aí que eu percebi que os meus projetos possuíam escopo fechado.

Quanto custa a hora de cada profissional?

Quando eu decidi tirar a Kamus da gaveta, eu queria saber quanto pagar para cada profissional e então eu fiz uma pesquisa com os meus contatos nas redes sociais e nos grupos de criação e desenvolvimento que eu fazia parte. A pesquisa rodou durante uns 2 meses e então cada um dizia quanto cobrava pela sua hora-técnica, e eu cheguei na média dos seus valores.

Criar a precificação foi bem fácil. Eu peguei o tempo que cada profissional atuava num determinado tipo de projeto e multiplicava pelo valor da hora-técnica e na remuneração da sua atuação. Somando os valores de todos os profissionais do projeto, cheguei então no preço final para o cliente!

Agora que você sabe como é a precificação na Kamus, que tal iniciar a comunicação da sua empresa, marca, serviço ou produto contratando um dos nossos produtos? Gostou da ideia? basta clicar no botão a seguir para receber um orçamento automaticamente!

Somos todos criativos

Olá, eu me chamo Cristiano Santos, sou designer web e criador da Kamus Hub de Profissionais. E esse é o meu artigo de estreia e eu fiquei pensando em qual tema trazer para abrir a comunicação do blog que conseguisse atingir tanto o cliente, empresário ou empreendedor, e ao mesmo tempo, o profissional como designer, front-end ou planner. A dificuldade de escrever esse tipo de artigo é grande pois são públicos com necessidades específicas e de consumo de conteúdo tão diferentes, mas esse é o desafio, vamos encarar.

Como empreendedor, eu tenho como meta, contextualizar o conceito da Kamus como modelo de negócio explicando o que vendemos, e ao mesmo tempo estimular profissionais a se sentiram motivados a criar um ambiente de colaboração de inteligência coletiva em projetos da mesma forma que ocorrem em vários escritórios de coworking pelo mundo.

Então, como profissional de comunicação, fiz o básico que se espera ao criar esse tipo de conteúdo que é começar com a necessidade desses dois públicos que nós esperamos atingir, que solução nós resolvemos para cada um deles, e claro, que benefícios serão agregados ao escolher a Kamus! Pronto, está delineado o meu artigo de estreia!

Não tá fácil pra ninguém!

Não importa, seja empresário ou profissional, todos usam a frase acima para se justificar um com o outro. Pelo lado do cliente o cenário político-econômico do país o obriga a apertar o cinto, cortar custos, rever processos, tudo com objetivo de diminuir despesas. Já pelo lado do profissional, esse mesmo cenário faz com que ele não possa escolher projetos em que gostaria de trabalhar, e acaba absorvendo mais demandas e horas de trabalho para conseguir pagar as contas no fim do mês. O resultado disso é mais dificuldade de cumprir seus compromissos, e lógico, menos qualidade de vida para ambos.

Conceito coworking

A cada ano que passa, mais e mais empresas aderem o formato de coworking permitindo que seus funcionários trabalhem de casa aumentando radicalmente a produtividade e a qualidade de vida de seus contratados. O conceito é muito inteligente e sustentável, uma vez que a redução de custos permite que ambos os lados economizem tempo e dinheiro. E porque não aderir esse mesmo conceito, contratando uma equipe de profissionais espalhados pelos quatro cantos do mundo, sem precisar fazer a gestão de cada um deles?!

Pluralidade, foco e controle de qualidade

Segundo David Keller (assista o vídeo  seguir), “todos somos criativos“. Não importa a sua área, o conjunto de ‘expertises‘ diferentes só aumenta a pluralidade de competências do seu projeto e de cada um que atua nele. Ou seja, é bom pra clientes e profissionais. A gestão do time é demanda da Kamus, e nós usamos ferramentas que auxiliam nessa tarefa, e ainda permitem avaliar em tempo real o que está em produção e ambos os lados podem dar ‘feedback’ sobre os processos.

O que é a Kamus?

Geralmente eu respondo que não somos uma agência digital, apesar de prestar os mesmos tipos de serviços. Então eu respondo que somos mais que um time. Nós somos o projeto! Nossa missão é entregar o melhor produto, com a melhor experiência de criação possível, e de forma colaborativa.

Se você é empresário e gostou desse conceito, seja bem-vindo! Agora se você é profissional designer web ou gráfico, front-end, back-end, fullstack, planner ou redator web, e gostou do formato, seja bem-vindo também!

Aqui, todos somos a Kamus!