Posts

Como está a empatia na comunicação da sua empresa?

Pare um minuto e reflita: qual foi a última vez que você ou algum colaborador da sua empresa fez um cliente sorrir?

É muito boa a sensação de quando a sua atuação faz alguém sorrir não é mesmo? Principalmente se for por causa do seu trabalho.

A imagem da sua empresa estará vinculada por muito tempo na mente do seu cliente baseado nessa experiência! Toda vez que ele precisar de algo do seu segmento, certamente lembrará desse sorriso!

Um bom exemplo disso foi o caso da empresa Nubank que adiantou R$ 60,00 de crédito para aumentar o limite da sua cliente Pâmela Cândido poder usá-lo no táxi para ir numa entrevista.

Ela estava sem crédito, pois havia pago a fatura naquele dia, e demoraria pelo menos 2 dias para compensar. Ao falar com a empresa do seu problema, o atendendo liberou o crédito na hora no aplicativo e a cliente Pâmela chegou no seu compromisso por causa dessa ajuda (Assista o vídeo da reportagem do Bom dia Brasil sobre esse ‘case’ clicando no box a seguir).

Bom Dia Brasil | Relação entre SAC das empresas e consumidor tem melhorado

Como é citado na matéria, o número de empresas que atuam dessa forma é muito pequeno. Por mais que seja um negócio, é preciso subir o nível de relacionamento com o público e estar em busca constante para gerar empatia.

Se com um colaborador já é difícil gerar empatia no consumidor, imagine num site!

A falta de empatia pode ser determinante para a baixa taxa de conversão num site. Mais do que passar as informações sobre o seu produto ou serviço, é preciso conquistar esse usuário.

Ainda que a sua empresa não venda nenhum produto através do site, é na navegação que o usuário toma a decisão de compra ou contratação, mesmo que de forma indireta ou em outro momento.

“Dê o presente da sua atenção àquilo que você está fazendo e a quem quer que esteja com você.” (Jim Rohn)

Por isso é fundamental que a arquitetura de informação seja uma conversa entre a empresa e consumidor. É preciso planejar esse ‘storytelling’ de forma a surpreendê-lo. E a forma mais eficaz é gerar empatia!

Mesmo que o usuário seja o Simon Cowell, jurado do programa Britain’s Got Talent, é possível surpreendê-lo fazendo-o sorrir!

Percebam que na há nada demais na coreografia. Mas a apresentação gerou empatia e isso surpreendeu à todos, e o Simon, mesmo sendo muito exigente com os candidatos, disse a expressão “Dream come true!” e fez o grupo avançar no programa.

Por isso empresário, pense em como você vai conseguir essa mesma reação falando com os usuários na próxima vez que você construir um site. Quem sabe ele aperte o botão dourado também para o seu produto ou serviço!?

A Internet do seu público é ‘mobile’. E o seu site é responsivo?

Quando Steve Jobs apresentou o iPhone na MacWorld de 2007, o mundo sabia que esteve de frente para algo realmente inovador. Ele era um produto incrível, e ofereceu uma forma totalmente nova de usarmos celulares.

Mais do que a telefonia, o iPhone foi disruptivo com a indústria da música, da fotografia e principalmente, da Internet!

À partir dessa apresentação o mundo nunca mais seria o mesmo!

Toda uma geração de usuários nasceu e cresceu baseado nesse patamar de consumo que ditou o comportamento da sociedade. Produtos e serviços surgiram para estar no ecossistema criado pela Apple à partir desse dia.

Hoje, 92,1% do acesso da Internet doméstica do Brasil é feito por um celular

Segundo uma pesquisa do IBGE, o celular superou pela primeira vez os desktops e monopolizam o acesso da Internet da maioria dos lares brasileiros através dos dispositivos móveis.

Com base nesses dados, é fundamental que cada empresário que investe em comunicação na Internet se conscientize de que se o usuário não tiver uma boa experiência de uso pelo celular, ele a descartará.

Não importa qual é o tipo de ação. Seja uma publicação via e-mail marketing, redes sociais ou site. Se a menção não se adaptar ao smartphone, não existirá comunicação nenhuma com o usuário.

Na Kamus todos os produtos são 100% pensados para criar uma excelente experiência de uso, independente se o seu público está num smartphone, tablet ou deskotp!

E aí empresário, a comunicação da sua marca é responsiva?

Trate o seu cliente como o Pearl Jam trata o seu público

Criada em 1990 com músicos remanescentes de Green River e Mother Love Bone, Pearl Jam é uma banda de Seatle (Estados Unidos) e teve forte influência no chamado ‘movimento Grunge‘, estilo musical que criou uma geração de fãs devotos.

A relação da banda com os fãs é muito bem retratada no filme Pearl Jam Twenty, dirigido por Cameron Crowe (também fã da banda), que mostra o hábito de mudar o ‘setlist‘ todos os shows por onde se apresentam, tocando de forma única para cada cidade onde passam.

No filme é mostrado como o vocalista e líder da banda, Eddie Vedder imagina o show baseado no comportamento do público local e só então define o ‘setlist‘, para desespero dos músicos que precisam estar bem ensaiados em todo repertório que conta com 10 álbuns.

A base de fãs sabe disso, e vê nesse hábito como mais motivo ainda para idolatrar a banda e comparecer sempre nos shows, pois sabem que estarão vivenciando algo único, uma vez que os ‘setlists‘ não se repetem.

Que lição podemos aprender com Pearl Jam?

Mercadologicamente falando, a banda trabalha com conceito de escassez e deixa isso sempre claro para o público que lota os estádios para assistir aquele show único.

Mas acima disso, o fato de analisar como o público daquela cidade, daquele país é, mostra que a banda foca na conversão ao máximo uma vez que mira no comportamento do público.

O resultado é sempre um show que toca no seu desejo e os motiva a comparecerem novamente nos shows, aumentando a recorrência e retenção.

A prova é o número absurdo de fãs que correm as cidades junto do Pearl Jam, a ponto de serem reconhecidos pelos integrantes, mesmo durante nos shows!

Isso é relacionamento, isso é comunicação com público!

Como é feita a aprovação do produto contratado?

Recentemente publicamos um artigo explicando como é possível acompanhar a produção de um projeto na Kamus. A ideia é aprovar a produção em tempo real, independente do número de tarefas e dos profissionais envolvidos.

Na Kamus nós usamos a plataforma Trello que possibilita que o cliente visualize remotamente tudo que está sendo produzido, aprovando ou pedindo revisão.

A ferramenta é gratuita e possui versão para desktop e roda em todos os navegadores (Chrome, Firefox, Safari e Internet Explorer), além de ter aplicativo para iOS e Android. Veja mais detalhes no site.

Mas e o projeto? Como verei o que está sendo produzido?

Se a empresa já possuir um domínio registrado e um site rodando normalmente numa hospedagem (e recomendamos a Xdevs para isso!), há duas situações em que o cliente pode optar:

Mantemos o site atual, deixando em pleno funcionamento e a produção é feita num outro endereço privado, onde só o cliente, ou o responsável pelas aprovações terão acesso. Assim que as tarefas forem concluídas pelos coworkers, eles atualizam o site, possibilitando a homologação do cliente, que pode aprovar ou pedir revisão.

A segunda situação é tirar o site do ar, deixando uma página temporária, que será criada especificamente para informar os usuários que o site está em construção, mas deixando dados suficiente para ficarem interessados pela estreia, deixando um formulário de retenção para serem avisados quando o mesmo for lançado (o mesmo acontecerá com as empresa que não possuem site).

Dessa forma é possível transformar visitantes em ‘leads’ e já iniciar um processo de comunicação, mesmo sem um site no ar!

E se a produção durar mais do que o tempo estimado no produto?

Nós usamos o blog não só para criar conteúdo conceitual sobre os nossos serviços engajando possíveis interessados nos nossos produtos. A ideia aqui é também responder empresários e coworkers nas suas principais dúvidas e o artigo de hoje visa argumentar um pouco mais sobre o prazo de entrega.

Num artigo recente nós mostramos como os projetos são acompanhados pelos clientes dentro da plataforma Trello. O texto mostra detalhadamente como é o fluxo de produção e como os clientes podem verificar o que está sendo produzido e intervir quando julgar necessário.

Só isso já é um grande diferencial de mercado, deixando a produção em tempo real, evitando aqueles enormes hiatos entre a contratação e a aproximação da data de entrega estimada.

Mas se algo sair errado? O que acontece?

Mesmo antes da produção começar, toda a estrutura foi pensada para minimizar os seus ruídos. Na montagem de time, o briefing é usado como catalizador na escolha do perfil de coworker mais adequado para o projeto.

Mesmo assim, se durante a produção, percebermos que ela está comprometida por alguma falha na gestão de equipe, a Kamus fará a troca de membro(s) do time sem custo para o cliente, e sem comprometer o prazo. Afinal, como sempre dissemos por aqui:

Prazo é sagrado!

Chega de dizer “Feliz Ano Novo” depois do Carnaval

Durante o meu período de 8 anos como freelancer, sempre me incomodou muito a mentalidade do empresário brasileiro achar que o ano só começa depois do Carnaval.

É fato. Como freelancer, eu percebia um comportamento recorrente de deixar a tomada de decisão de investir pela Internet pra depois da maior festa popular do Brasil.

A minha rotina era prospectar, pedir retorno sobre as propostas e escutar a frase “vamos esperar passar o Carnaval e depois conversamos novamente ok!?” Isso sempre foi muito frustrante para mim, pois achava que eu nunca venceria esse movimento e então eu resolvi mudar o meu ‘mindset‘, para só então criar a cultura do empresário brasileiro, e esse é o objetivo desse post!

Não é preciso deixar de pular Carnaval, nem achar que ele atrapalha o Brasil. A comunicação da sua empresa pode ser planejada estrategicamente para engajar com o público exatamente nesse época, sem ter que esperar a quarta-feira de cinzas para começar a pensar a gerar negócios no ano!

Como diz o ditador popular:

“Quem não é visto, não é lembrado.”

E se você esperar o bloco passar, certamente só começará o ano depois da quaresma!

A importância de escolher uma boa hospedagem

Olá, meu nome é Felipe Pavão, sou sócio e fundador da Xdevs, empresa especializada em hospedagem de sites WordPress e parceira da Kamus na hospedagem dos seus projetos. Hoje eu vou compartilhar com você os principais pontos que devem ser levados em consideração na contratação de uma boa hospedagem.

A escolha de um host é um dos primeiros pontos a serem decididos quando o empreendedor dá início a criação da sua presença digital. No geral, o empreendedor não investe muito tempo em fazer uma boa escolha, o que pode comprometer toda a execução de seu marketing digital.

Tendemos a decidir pelo que estamos mais expostos e pela empresa mais popular ou com menor preço no mercado. Essa é uma escolha natural do comportamento do ser humano e de todo marketing que é feito por essas companhias. No entanto, é preciso ter alguns cuidados para não comprometer investimentos maiores.

Quando se pensa em uma boa hospedagem, boa performance e estabilidade de servidores são os pontos que devem permear a decisão pela melhor solução. Além disso, ter expertise na tecnologia do seu site e disponibilidade de atendimento são alguns diferenciais a serem observados.

No quesito performance e estabilidade, vale salientar que a paciência do usuário de internet é cada vez menor. Isso significa que se o seu site não carregar rápido e entregar o resultado que o seu prospect espera, ele não fará nenhuma cerimônia em fechar a aba e seguir para o seu concorrente. E todo aquele esforço e dinheiro investidos por você irão para o ralo em um piscar de olhos. Sendo assim, é importante conhecer outros sites hospedados e utilizar ferramentas como o GtMetrix para medir a performance desses sites e te auxiliar na decisão.

Além disso, conhecer a tecnologia do seu site (em nosso caso, o WordPress) e disponibilidade de atendimento são ótimos diferenciais a serem observados. Enquanto muitas empresas tendem a querer abraçar o mundo e atender todas as tecnologias, algumas outras optam por se especializar em determinados nichos para oferecerem um serviço diferenciado e um atendimento mais ágil. E isso vai fazer diferença exatamente no momento em que um plugin do WordPress por ventura atualizar e quebrar o seu site. Ter um suporte especializado na tecnologia do seu site livrará você de muitos problemas futuros e evitará custos pontuais com programadores.

Por fim, e como bônus nesse artigo, vale mencionar a questão dos e-mails. A maioria das hospedagens generalistas oferecem serviços de e-mails atrelados as hospedagens de sites (que são serviços diferentes), como forma de venda casada. Esses serviços de e-mails até atendem o grande público, mas não o bastante principalmente quando o seu negócio estiver crescendo. Isso porque você fatalmente precisará migrar de hospedagem e ficará dependente de um serviço genérico de e-mail daquela empresa. A pergunta que fica é: por que não começar com seus e-mails hospedados em uma empresa de e-mail, como o Gmail ou a Zoho?

Se você ficou com alguma dúvida nos pontos abordados, fique a vontade para enviar um email para felipe@xdevs.com.br ou comentar aqui embaixo.

Qual é a garantia da Kamus na entrega do produto dentro do prazo?

Toda empresa de prestação de serviço diz a mesma coisa: tem o melhor produto, os seus clientes estão sempre satisfeitos, e entrega tudo sempre dentro do prazo.

Na Kamus tudo é baseado na inteligência coletiva. Isso significa que muitos estão pensando em soluções para todos! Seja na contratação, na produção, na aprovação e na entrega. A opinião de quem faz parte do processo para melhorá-lo continuamente é o nosso perfil.

Quando modelei a Kamus pela primeira vez, ela já pensava fora da caixa desde a forma de se vender, quanto na execução. De lá pra cá, com a entrada de vários coworkers que somaram com novas ideias e experiências, esse modelo foi se ajustando com cada pequeno processo, chegando no modelo que temos hoje, e que garantimos que ainda vai continuar mudando!

E qual é a relação da Kamus com os prazos?

Num artigo recente citamos as 3 coisas são sagradas por aqui: Briefing, prazo e criatividade!

Como o escopo dos nossos produtos são fechados, a produção ocupa praticamente o mesmo número de horas para os coworkers, independente da sua velocidade ou estilo. Cabendo à Kamus monitorar e ajustar o que for necessário para que o fluxo de produção não se interrompa e o prazo seja cumprido.

A estimativa de tempo de produção de cada coworker foi validada na minha atuação como freelancer nos últimos 8 anos, e chegamos na quantidade de horas de cada produto atual. Mas se mesmo assim, um projeto ultrapassar o tempo estimado de alguma fase, a Kamus cobrirá o(s) custo(s) junto ao(s) profissional(is) envolvido(s), não onerando o valor final do produto para o cliente. Ou seja, garantimos a entrega no prazo, sempre!

Somos todos criativos

Olá, eu me chamo Cristiano Santos, sou designer web e criador da Kamus Hub de Profissionais. E esse é o meu artigo de estreia e eu fiquei pensando em qual tema trazer para abrir a comunicação do blog que conseguisse atingir tanto o cliente, empresário ou empreendedor, e ao mesmo tempo, o profissional como designer, front-end ou planner. A dificuldade de escrever esse tipo de artigo é grande pois são públicos com necessidades específicas e de consumo de conteúdo tão diferentes, mas esse é o desafio, vamos encarar.

Como empreendedor, eu tenho como meta, contextualizar o conceito da Kamus como modelo de negócio explicando o que vendemos, e ao mesmo tempo estimular profissionais a se sentiram motivados a criar um ambiente de colaboração de inteligência coletiva em projetos da mesma forma que ocorrem em vários escritórios de coworking pelo mundo.

Então, como profissional de comunicação, fiz o básico que se espera ao criar esse tipo de conteúdo que é começar com a necessidade desses dois públicos que nós esperamos atingir, que solução nós resolvemos para cada um deles, e claro, que benefícios serão agregados ao escolher a Kamus! Pronto, está delineado o meu artigo de estreia!

Não tá fácil pra ninguém!

Não importa, seja empresário ou profissional, todos usam a frase acima para se justificar um com o outro. Pelo lado do cliente o cenário político-econômico do país o obriga a apertar o cinto, cortar custos, rever processos, tudo com objetivo de diminuir despesas. Já pelo lado do profissional, esse mesmo cenário faz com que ele não possa escolher projetos em que gostaria de trabalhar, e acaba absorvendo mais demandas e horas de trabalho para conseguir pagar as contas no fim do mês. O resultado disso é mais dificuldade de cumprir seus compromissos, e lógico, menos qualidade de vida para ambos.

Conceito coworking

A cada ano que passa, mais e mais empresas aderem o formato de coworking permitindo que seus funcionários trabalhem de casa aumentando radicalmente a produtividade e a qualidade de vida de seus contratados. O conceito é muito inteligente e sustentável, uma vez que a redução de custos permite que ambos os lados economizem tempo e dinheiro. E porque não aderir esse mesmo conceito, contratando uma equipe de profissionais espalhados pelos quatro cantos do mundo, sem precisar fazer a gestão de cada um deles?!

Pluralidade, foco e controle de qualidade

Segundo David Keller (assista o vídeo  seguir), “todos somos criativos“. Não importa a sua área, o conjunto de ‘expertises‘ diferentes só aumenta a pluralidade de competências do seu projeto e de cada um que atua nele. Ou seja, é bom pra clientes e profissionais. A gestão do time é demanda da Kamus, e nós usamos ferramentas que auxiliam nessa tarefa, e ainda permitem avaliar em tempo real o que está em produção e ambos os lados podem dar ‘feedback’ sobre os processos.

O que é a Kamus?

Geralmente eu respondo que não somos uma agência digital, apesar de prestar os mesmos tipos de serviços. Então eu respondo que somos mais que um time. Nós somos o projeto! Nossa missão é entregar o melhor produto, com a melhor experiência de criação possível, e de forma colaborativa.

Se você é empresário e gostou desse conceito, seja bem-vindo! Agora se você é profissional designer web ou gráfico, front-end, back-end, fullstack, planner ou redator web, e gostou do formato, seja bem-vindo também!

Aqui, todos somos a Kamus!