E se o projeto atrasar? Como fica o valor da minha hora-técnica?

O grande gargalo em produção é a quantidade de vezes que um escopo é modificado e que geram novas refações de trabalho. Isso acontece com muita frequência na maioria esmagadora de projetos e a Kamus foi modelada paraevitar justamente esse ‘core‘ de atuação do mercado.

É muito comum, mesmo de posse de um ‘briefing‘, o escopo ir alterando por falta de um direcionamento e acabamos “entubando” essas mudanças e quando percebemos, o projeto dobra de tamanho e tempo.

Esse cenário não é só ruim para os profissionais que atuam no projeto, mas para o cliente também! É só reconhecer que quanto mais o tempo passa, e mais novas funções são adicionadas ao escopo, mais a expectativa aumenta sobre o projeto, e em geral, o resultado entregue é aquém do esperado, e todos saem frustrados.

Na Kamus toda a produção é baseada na metodologia Kanban na plataforma Trello. Toda vez que somos contratados, nós criamos um ‘board‘ do produto, e com 5 minutos e pouquíssimos cliques, nós criamos a base de tarefas onde o projeto será acompanhado pelo cliente e coworkers.

Ou seja, os ‘cards‘ de TODAS as tarefas já estarão definidas.

Claro que existirão ajustes! Sim, mas a chance é minimizada uma vez que fica mais claro perceber se aquele pedido de mudança fere ou não o ‘briefing‘. O papel da Kamus é garantir que esses pedidos não alterem a quantidade de horas trabalhadas pelos coworkers do projeto.

Mas se ainda sim, a mudança for aceita, e ela impactar na geração de mais horas de produção, o coworker envolvido será bonificado em sua remuneração.

E se eu não gostar do que for entregue?

Precisamos de uma placa de trânsito que faça o motorista parar no cruzamento antes de atravessá-lo, evitando assim, possível colisões com outros motoristas que venham da rua transversal.

O resultado é a placa de “PARE” que todos nós conhecemos. Simples, funcional e universal, bastando trocar apenas o idioma.

O vídeo Placa STOP faz uma paródia justamente sobre um projeto cujo ‘briefing‘ muda de escopo o tempo todo, ampliando as necessidade e público-alvo. Não há foco na solução e sim no ego de quem está contribuindo para a criação da peça, deixando de lado a sua função e utilidade para o seu público.

Claro que temos a consciência que projetos se ajustam conforme são construídos. O que não significa que eles estão fugindo do ‘briefing‘. Mas é preciso foco para que o resultado final atinja a sua meta.

Na Kamus nós montamos toda a produção em ‘cards‘ no Trello para que o cliente possa aprovar ou pedir ajustes em cada tarefa, individualmente. Isso faz com que o projeto continue no foco, enquanto uma tarefa que o cliente reprovou é corrigida.

Isso evita aquele famosa frase “ué, mas não foi isso que eu contratei“, pois minimiza os ajustes, deixando claro para todos que fazem parte do projeto, que a produção está no caminho certo. Mas se não estiver, o cliente levanta a Placa STOP e ajustamos!

Em que horário eu poderei trabalhar no projeto?

Todos nós temos um “cronotipo“. Ou seja, um perfil variável de um determinado período do dia ou da noite em que somos mais ativos, e consequentemente, mais produtivos.

Um desses perfis é o matutino, que correspondem em média 10% da população. Essas pessoas acordam muito cedo e lá pelas 21h já estão mortas de sono, e em geral executam a maioria das suas tarefas antes do meio-dia.

Já os vespertinos ocupam outra fatia de 10% da população e são mais ativos depois das 20h, justamente por não conseguirem dormir cedo, nem acordar. Por conta disso, costumam ter menos horas de sono do que necessitam, descansando no fim de semana.

O restante da população intermediária consegue se ajustar aos horários bem mais do que os outros dois grupos.

Conhecer o seu cronotipo auxilia não só na produtividade, mas como também na qualidade de vida. E nesse tópico, nós da Kamus incentivamos muito! Quanto melhor for a qualidade do seu sono, mas dispostos você estará ao longo do dia.

Por isso incentivamos que todos os coworkers trabalhem no máximo até 4h por dia para a Kamus. Não importando qual o seu cronotipo. Basta se organizar para cumprir os prazos definidos nos ‘cards‘ e trabalhar no horário que for mais adequado para você.

Quantos projetos eu posso fazer ao mesmo tempo?

Qualidade de vida.

Essa sempre foi a meta quando comecei a modelar a Kamus. E como a operação da empresa é baseada na atuação dos coworkers, essa meta foi estendida para os profissionais que nos contratamos para nosso projetos.

Durante muito tempo enquanto freelancer, eu busquei metodologias e ferramentas que me auxiliassem na produtividade, mas que me beneficiassem também com mais tempo para estudos e lazer.

Depois de muito pesquisar, eu elegi 3 metodologias apoio como as principais na minha produção:

  • GTD (Getting Things Done) – Metodologia de gestão de prioridades de tarefas;
  • Pomodoro Techinique – Técnica foco em produção baseada em ciclos de 25 minutos;
  • Kanban – Conceito de acompanhamento de fluxo de produção;

Qualidade nas entregas

Para atingir excelência nas entregas e ainda sim ter qualidade vida, é preciso, antes antes de mais nada, limitar a quantidade de demandas, ter muito foco nas tarefas e fazer pausas recorrentes para aumentar a produtividade.

Dessa forma, na Kamus nós estimamos que todos os produtos devam ter atuação dos coworkers de no máximo 4 horas diárias em cada projeto. Esse tempo inviabiliza atuar em mais de um projeto ao mesmo tempo, ou seja, se você entrar para um time num projeto, só poderá participar de novas montagens de times, quando terminar o projeto atual.

Mas não se preocupe. O resultado final é produtividade alta, focada e com muita qualidade de vida para você!

A importância do design na comunicação

No dia 26 de fevereiro de 2017 aconteceu a histórica 89ª edição o Oscar! Histórica não só pela qualidade dos filmes e atores, mas como também, por uma das maiores gafes de que se tem notícia! Quem acompanhou a entrega dos prêmios até tarde para saber qual filme seria consagrado como o melhor do ano, viu o ator Warren Beatty se enrolar totalmente com o envelope durante mais tempo do que o normal, quando a atriz Faye Dunaway anunciou:

“La La Land”.

Toda equipe subiu até o palco e no terceiro agradecimento, o produtor do filme La La Land anuncia que Moonlight era o vencedor! Na verdade, o envelope que estava na mão de Warren Beatty era o de melhor atriz. Prêmio ganho instantes antes pela Emma Stone, também do filme La La Land, por isso a enorme dúvida do Warren Beatty.

Mas qual é a relação da gafe com design?

Ok, houve um erro. A troca dos envelopes por alguém da organização e a falta de jogo de cintura do casal Warren Beatty e Faye Dunaway foram determinante para o que aconteceu.

Mas alguns dias depois, o criativo Benjamin Bannister fez uma proposta de mudança no envelope que vale o argumento. Ele sugeriu um redesign da tipologia e disposição dos elementos focados na ação. Ou seja, na conversão!

Sim, conversão!

Basta refletirmos: qual é o objetivo do envelope? Anunciar um vencedor de uma determinada categoria, e de um determinado filme.

Perceberam que o envelope trocado do Oscar possui o nome da vencedora e do filme do MESMO TAMANHO, quando na verdade o principal seria o nome da atriz Emma Stone!?

Certamente se o design do envelope fosse como o proposto pelo Benjamin, chamaria mais atenção dos atores, que poderiam notar que o envelope estava trocado, evitando a gafe. Quem sabe ano que vem, eles contratam o Benjamim pra isso!?

E se a produção durar mais do que o tempo estimado no produto?

Nós usamos o blog não só para criar conteúdo conceitual sobre os nossos serviços engajando possíveis interessados nos nossos produtos. A ideia aqui é também responder empresários e coworkers nas suas principais dúvidas e o artigo de hoje visa argumentar um pouco mais sobre o prazo de entrega.

Num artigo recente nós mostramos como os projetos são acompanhados pelos clientes dentro da plataforma Trello. O texto mostra detalhadamente como é o fluxo de produção e como os clientes podem verificar o que está sendo produzido e intervir quando julgar necessário.

Só isso já é um grande diferencial de mercado, deixando a produção em tempo real, evitando aqueles enormes hiatos entre a contratação e a aproximação da data de entrega estimada.

Mas se algo sair errado? O que acontece?

Mesmo antes da produção começar, toda a estrutura foi pensada para minimizar os seus ruídos. Na montagem de time, o briefing é usado como catalizador na escolha do perfil de coworker mais adequado para o projeto.

Mesmo assim, se durante a produção, percebermos que ela está comprometida por alguma falha na gestão de equipe, a Kamus fará a troca de membro(s) do time sem custo para o cliente, e sem comprometer o prazo. Afinal, como sempre dissemos por aqui:

Prazo é sagrado!

Qual é a garantia da Kamus na entrega do produto dentro do prazo?

Toda empresa de prestação de serviço diz a mesma coisa: tem o melhor produto, os seus clientes estão sempre satisfeitos, e entrega tudo sempre dentro do prazo.

Na Kamus tudo é baseado na inteligência coletiva. Isso significa que muitos estão pensando em soluções para todos! Seja na contratação, na produção, na aprovação e na entrega. A opinião de quem faz parte do processo para melhorá-lo continuamente é o nosso perfil.

Quando modelei a Kamus pela primeira vez, ela já pensava fora da caixa desde a forma de se vender, quanto na execução. De lá pra cá, com a entrada de vários coworkers que somaram com novas ideias e experiências, esse modelo foi se ajustando com cada pequeno processo, chegando no modelo que temos hoje, e que garantimos que ainda vai continuar mudando!

E qual é a relação da Kamus com os prazos?

Num artigo recente citamos as 3 coisas são sagradas por aqui: Briefing, prazo e criatividade!

Como o escopo dos nossos produtos são fechados, a produção ocupa praticamente o mesmo número de horas para os coworkers, independente da sua velocidade ou estilo. Cabendo à Kamus monitorar e ajustar o que for necessário para que o fluxo de produção não se interrompa e o prazo seja cumprido.

A estimativa de tempo de produção de cada coworker foi validada na minha atuação como freelancer nos últimos 8 anos, e chegamos na quantidade de horas de cada produto atual. Mas se mesmo assim, um projeto ultrapassar o tempo estimado de alguma fase, a Kamus cobrirá o(s) custo(s) junto ao(s) profissional(is) envolvido(s), não onerando o valor final do produto para o cliente. Ou seja, garantimos a entrega no prazo, sempre!

Como é feita a escolha dos times nos projetos da Kamus?

Sempre que um profissional se interessa em ser um coworker na Kamus eu recebo frequentemente a mesma pergunta do título desse artigo. É uma dúvida muito comum e então nós resolvemos transformá-la num post.

A Kamus foi idealizada baseada em 3 princípios básicos para os coworkers:

  • Jobs que não mudam escopo todo tempo
  • Prazo de produção aceitáveis
  • Pagamento justo e com data definida

A máxima é que cada coworker trabalhe com 100% foco no job em que foi alocado, usando a sua conveniência de local e tempo, gerando maior qualidade vida. Na Kamus nós acreditamos que esse cenário é bom para os coworkers, como também é para os clientes, que terão resultados mais satisfatórios.

Como é o critério de montagem do time?

Por conta disso, cada projeto que chega por aqui, gera um interesse de vários profissionais que respondem os briefings de montagem de times e nós precisamos criar um critério para a escolha dos profissionais. São eles:

  • Perfil do coworker – Quanto mais o perfil for próximo ao tipo de projeto, melhor!
  • Experiências anteriores – Vale muito possuir experiência em projetos similares ao que vamos atuar.
  • Disponibilidade – Com o time definido, o início de produção leva no máximo até 48h.
  • Velocidade no retorno – Quanto mais rápido você entrar em contato mostrando interesse, maiores as suas chances.

E como funciona na prática?

Assim que um contrato é fechado na Kamus, nós entramos agendamos uma reunião remota com o cliente (ou responsável pelas aprovações) para criarmos o documento de briefing. Além de informações técnicas, essa conversa traça o perfil conceitual do projeto, fundamental para a escolha dos profissionais.

Depois disso a Kamus envia um e-mail para toda a base (E-mail e Slack) com um vídeo explicativo com todos os detalhes do projeto e cada coworker interessado nos responde contando a sua ideia sobre o briefing do projeto. É baseado nessa resposta é que avaliamos o perfil do coworker e definimos o time.

Se você quiser receber o envio do briefing toda vez que estivermos montando um time, cadastre-se na base de e-mails ou participe do grupo Slack da Kamus e responda sempre que se interessar por um projeto.

Somos todos criativos

Olá, eu me chamo Cristiano Santos, sou designer web e criador da Kamus Hub de Profissionais. E esse é o meu artigo de estreia e eu fiquei pensando em qual tema trazer para abrir a comunicação do blog que conseguisse atingir tanto o cliente, empresário ou empreendedor, e ao mesmo tempo, o profissional como designer, front-end ou planner. A dificuldade de escrever esse tipo de artigo é grande pois são públicos com necessidades específicas e de consumo de conteúdo tão diferentes, mas esse é o desafio, vamos encarar.

Como empreendedor, eu tenho como meta, contextualizar o conceito da Kamus como modelo de negócio explicando o que vendemos, e ao mesmo tempo estimular profissionais a se sentiram motivados a criar um ambiente de colaboração de inteligência coletiva em projetos da mesma forma que ocorrem em vários escritórios de coworking pelo mundo.

Então, como profissional de comunicação, fiz o básico que se espera ao criar esse tipo de conteúdo que é começar com a necessidade desses dois públicos que nós esperamos atingir, que solução nós resolvemos para cada um deles, e claro, que benefícios serão agregados ao escolher a Kamus! Pronto, está delineado o meu artigo de estreia!

Não tá fácil pra ninguém!

Não importa, seja empresário ou profissional, todos usam a frase acima para se justificar um com o outro. Pelo lado do cliente o cenário político-econômico do país o obriga a apertar o cinto, cortar custos, rever processos, tudo com objetivo de diminuir despesas. Já pelo lado do profissional, esse mesmo cenário faz com que ele não possa escolher projetos em que gostaria de trabalhar, e acaba absorvendo mais demandas e horas de trabalho para conseguir pagar as contas no fim do mês. O resultado disso é mais dificuldade de cumprir seus compromissos, e lógico, menos qualidade de vida para ambos.

Conceito coworking

A cada ano que passa, mais e mais empresas aderem o formato de coworking permitindo que seus funcionários trabalhem de casa aumentando radicalmente a produtividade e a qualidade de vida de seus contratados. O conceito é muito inteligente e sustentável, uma vez que a redução de custos permite que ambos os lados economizem tempo e dinheiro. E porque não aderir esse mesmo conceito, contratando uma equipe de profissionais espalhados pelos quatro cantos do mundo, sem precisar fazer a gestão de cada um deles?!

Pluralidade, foco e controle de qualidade

Segundo David Keller (assista o vídeo  seguir), “todos somos criativos“. Não importa a sua área, o conjunto de ‘expertises‘ diferentes só aumenta a pluralidade de competências do seu projeto e de cada um que atua nele. Ou seja, é bom pra clientes e profissionais. A gestão do time é demanda da Kamus, e nós usamos ferramentas que auxiliam nessa tarefa, e ainda permitem avaliar em tempo real o que está em produção e ambos os lados podem dar ‘feedback’ sobre os processos.

O que é a Kamus?

Geralmente eu respondo que não somos uma agência digital, apesar de prestar os mesmos tipos de serviços. Então eu respondo que somos mais que um time. Nós somos o projeto! Nossa missão é entregar o melhor produto, com a melhor experiência de criação possível, e de forma colaborativa.

Se você é empresário e gostou desse conceito, seja bem-vindo! Agora se você é profissional designer web ou gráfico, front-end, back-end, fullstack, planner ou redator web, e gostou do formato, seja bem-vindo também!

Aqui, todos somos a Kamus!