Posts

Será que o seu público vê as menções que a sua marca faz no Facebook?

Que o Facebook vem trabalhando em novas funções constantemente nos últimos meses, isso ninguém pode negar.

Chatbot no Messenger, compartilhamento de localização geográfica entre amigos, posts coloridos no desktop, Facebook live e mais recentemente, o Facebook Stories, função similar ao Instagram Stories, que também está presente no Whatsapp.

O Facebook trabalha arduamente criando (ou copiando) novas funções para nos manter na plataforma, e então assim, ganhar dinheiro com os nossos cliques em anúncios.

Sem entrar no mérito da questão da publicidade, a reflexão desse post é pensar sobre qual é o REAL impacto da sua marca junto ao seu público, uma vez que ele possui todas essas distrações. Afinal, o usuário está na rede social para interagir essencialmente com os seus amigos e familiares, e eventualmente com as marcas.

Como garantir que o seu público vai consumir a sua menção e consequentemente, o seu produto ou serviço?

A resposta é: engajamento!

Mas acredite. Engajar não é tão simples quanto se prega por aí. Aliás, é bem difícil! Criar empatia, gerar senso de pertencimento, transformar a sua marca numa ‘lovebrand‘ é um dos papeis mais difíceis do mercado.

É preciso saber ouvir, interagir e entregar o que o público espera, e às vezes até mais do que ele espera.

Não basta mais fazer o que se propõe como marca, é preciso se relacionar com o público, e só através de comunicação integrada com o ‘core‘ da empresa isso é possível.

Se a sua marca tem uma presença no Facebook, e acha isso suficiente, saiba que nem de longe a sua empresa está atingindo todo o potencial da plataforma. É preciso se expor, tentar, testar, ouvir, refazer, recriar, rever, e começar tudo de novo.

E aí, curtiu?

A comunicação da sua empresa pensa realmente fora da caixa?

Usa-se muito a expressão “pensar fora da caixa” hoje em dia. Basta acessar qualquer site de marketing digital para constatar essa máxima. Mas afinal, a sua empresa está realmente fazendo uma comunicação “fora da caixa”?

Na verdade mesmo, são poucas marcas que comunicam e convertem usando uma comunicação fora do convencional. E não é por falta de vontade ou iniciativa. É porque é muito difícil mesmo encontrar uma voz diferenciada, ajustar o tom e ainda sim fazer uma conversão. Não é fácil!

Será que a sua empresa está pronta pra assumir uma comunicação assim?

Mas há quem comunique fora da caixa e ainda cria uma base de fãs que ampliam a experiência com a marca. Quem se lembra da famosa página do Cemitério Jardim da Ressurreição no Facebook? Com publicações cravejadas de bom-humor, a comunicação foge do ‘modus operandi‘ de seus similares e vira a única marca memorável de seu segmento.

Outra página no Facebook que descobri recentemente é a Pony Veículos. Uma loja de carros usados que anuncia de forma inusitada seus produtos e arranca boas gargalhadas e claro, fica na mente de possíveis clientes.

Fiat Uno Deus das Estradas

Um Uno Fire 2007/08 definido como “vilão confirmado na próxima temporada do The Flash” e dono de um “design cubista revolucionário de Pablo Picasso”, além de outras qualidades impublicáveis. A Pony diz que o popular é um carro voltado para “homens sérios, trabalhadores e que estão à procura de um relacionamento duradouro”.

Já imaginou anunciar um carro assim? Pois é, essa é a estratégia da empresa, que garante, está vendendo como nunca! Uma coisa é certa: garanto que você riu quando leu o anúncio. Daí para uma compra é apenas um pulo se a conveniência do produto alinhar com a sua necessidade.

Pense nisso!

Comunique a cultura de valores da empresa e evite uma crise nas redes sociais

No começo desse mês, um homem foi demitido de uma empresa da construção civil onde estagiava, por postar conteúdo machista e preconceituoso no seu Facebook enquanto trabalhava nas dependências da empresa. Claro que a Internet não perdoou e ele foi demitido, e o caso ganhou repercussão nacional.

A empresa de Maringá publicou um pedido de desculpas na sua página no Facebook (vide box) e informou o desligamento do estagiário. Claro que esse fato, de certa forma, mancha a imagem da empresa.

Por mais que tenha ficado claro que as menções do estagiário não representavam os valores da empresa, ainda sim, ela possui responsabilidade em não ter criado essa cultura junto aos seus colaboradores e pode ser que leve tempo para que esse imagem seja restaurada na mente das pessoas.

Felizmente a empresa agiu rapidamente e está trabalhando para reverter o caso. Por isso, fica a dica para você empresário que ainda não entende como as redes sociais funcionam:

Pensar em comunicação não é apenas criar bons conteúdos engajados, mas também passar a cultura da empresa para o seu público, além dos seus funcionários e colaboradores.